Barcelona esmaga River Plate e é campeão do Mundo

Depois de Liga dos Campões, Supertaça Europeia, Liga espanhola e Taça do Rei, o 'Barça', de Luis Enrique, que só perdeu a Supertaça espanhola, tornou-se o primeiro a somar três títulos mundiais de clubes, repetindo 2009 e 2011.

O argentino Lionel Messi, que já havia faturado nas finais de 2009 e 2011, inaugurou o marcador, aos 36 minutos, e Luis Suárez 'bisou' na segunda parte, aos 49 e 68, depois do 'hat-trick' nas meias-finais, sendo eleito o melhor da prova.

A final da edição 2015 do Mundial de clubes foi dominada por completo pelo 'Barça', muito superior ao River Plate, que só deu trabalho a Claudio Bravo na parte final, quando o 'Barça' desacelerou, com o jogo resolvido.

Em relação ao encontro das meias-finais, Marcelo Gallardo trocou Leonardo Pisculichi por Tabau Viudez, enquanto Luis Enrique já pôde contar com Lionel Messi e Neymar, que substituíram Munir e Sergi Roberto.

A formação argentina entrou determinada, tentando pressionar alto o Barcelona e não o deixar jogar, mas sem criar perigo, pertencendo a Messi, aos 11 minutos, o primeiro momento de algum perigo.

Aos 19 minutos, uma jogada entre Rakitic, Neymar e Messi voltou a 'incomodar', bem como um remate de primeira de Dani Alves, aos 24, servido por Neymar, com o River a responder com remates fracos e de longe de Mora (27) e Alario (30).

Messi voltou a aparecer aos 33 minutos, num livre direto que Barovero defendeu com dificuldades, e, aos 36, conseguiu mesmo faturou: desmarcou Dani Alves na direita, este centrou para a área, Neymar ganhou de cabeça e o '10' dominou com o peito e fez um desvio subtil com o pé esquerdo.

Até ao intervalo, o 'Barça' poderia ter dado uma 'machadada' no encontro, já nos descontos, aos 45+1 minutos, mas Suárez, após jogada 'mágica' de Messi, atirou ao lado da baliza dos argentinos.

Com o ex-portista Lucho González e Gonzalo Martínez nos lugares de Ponzio e do ex-benfiquista Rodrigo Mora, o River Plate reentrou determinado, mas, aos 49 minutos, o Barcelona 'acabou' com o jogo, em contra-ataque.

Busquets recuperou uma bola a meio-campo, tabelou com Iniesta e, depois, fez um passe em profundidade a isolar Luis Suárez, que, desta vez, não perdoou, na 'cara' de Barovero.

O segundo tento 'atordoou' os argentinos e o 'Barça' esteve várias vezes na iminência de marcar o terceiro, por Messi (53, 55 e 57 minutos) e Suárez (57), ficando ainda dúvidas se Neymar não sofreu falta para grande penalidade (55).

O 'Barça' acalmou, então, o seu jogo, optando mais por guardar a bola e fazer passar o tempo, mas, aos 68 minutos, chegou mesmo ao terceiro golo: Messi tocou para Neymar e este centrou para Suárez 'bisar' de cabeça. Entre os três, em 2015, passaram a somar 134 golos pelo 'Barça'.

Com tudo resolvido, os catalães desaceleraram em definitivo e os argentinos poderiam ter chegado ao tento de honra, só que Bravo não o permitiu, com grandes defesas a remates de Alario (77 minutos) e Gonzalo Martínez (84).

Fonte: TSF