Fisco fará protesto contra fechamento postos fiscais

Nesta terça-feira, às 07h, os auditores de tributos vão denunciar o fechamento de cinco postos fiscais da divisa de Sergipe com os estados vizinhos Bahia e Alagoas. O ato será na porta da Secretaria da Fazenda de Sergipe (Sefaz) e dará continuidade a Campanha de Mobilização do Plano de Carreira do Fisco. Logo depois, às 10h, está confirmado o encontro da diretoria do Sindicato do Fisco de Sergipe (Sindifisco) com o secretário da Fazenda, Jefferson Passos.

Para o presidente do Sindifisco, Paulo Pedroza, o fechamento dos postos causou estranheza. “Isso demostra a falta de planejamento e compromisso com a arrecadação dos impostos estaduais. Sem estudo técnico e sem justificativa plausível, essa medida anunciada deixa clara a falta de coerência e compromisso do secretário Jefferson Passos”, afirma Pedroza.

As unidades que deverão ser desativadas são Posto Fiscal de Cristinápolis (BR 101); Posto Fiscal de Indiaroba (Linha Verde); Posto Fiscal de Tobias Barreto; Posto Fiscal de Simão Dias (divisa com Paripiranga/BA); Posto Fiscal de Curituba/Canindé do São Francisco (divisa com Paulo Afonso/Ba).

Fisco continua mobilizado

Esta segunda-feira, dia 28, foi agitada no Fisco de Sergipe.  No turno da manhã, uma comissão de auditores fiscais esteve na Central de Atendimento ao Contribuinte (CEAC) da Secretaria da Fazenda (em frente à Ceasa). No local, eles conversaram com os funcionários e contribuintes sobre a Mobilização em Defesa do Plano de Carreira do Fisco, com reposição salarial. No local, houve também reunião da diretoria do Sindicato do Fisco de Sergipe (Sindifisco). À tarde, na sede do sindicato, teve reunião do Conselho de Representante com os ex-chefes de setores da Sefaz. Na próxima quarta-feira, dia 30, às 08h30, o Sindifisco fará nova Assembleia Extraordinária.

Nas três atividades desta segunda, a palavra chave dos discursos dos auditores e auditoras foi o de resistência. De forma contundente, as intervenções nesses encontros ressoavam frases como “O Plano de Carreira e reposição salarial é um direito”; “Estamos no direito de resistir esse desrespeito do governo às nossas demandas”; “O Fisco está coeso e o governo não conseguirá intimidar a nossa categoria” e “A direção da Sefaz não vai nos vencer pelo cansaço”.    

Sefaz sem direção

A nova mobilização no Fisco foi aprovada na mesma assembleia que decidiu encerrar o movimento grevista para conquistar a reabertura das negociações com a administração estadual. A greve foi deflagrada no dia sete de novembro e terminou no dia 16 de dezembro, 39 dias seguidos. Por falta de habilidade e de proposta concretas às reivindicações do Fisco, a Secretaria da Fazenda continua sem cargos de direção. Os auditores Técnicos de Tributos nível I que detinham cargos de chefia e aderiram ao movimento não retornaram aos cargos. Ao todo foram entregues 79 cargos, o que representa mais de 95% das chefias na estrutura da Sefaz.

Por Déa Jacobina