Sem pagamento,carros-pipa param de distribuir água no sertão de Sergipe

O fornecimento de água feito por carros-pipa em pelo menos dez cidades que sofrem com a estiagem no sertão de Sergipe está comprometido há uma semana. Os 109 pipeiros que trabalham na região paralisaram as atividades por falta de pagamento do Governo do Estado. Os débitos que segundo os trabalhadores estariam atrasados desde outubro do ano passado somam mais de R$ 550 mil reais e a previsão é de que a situação só comece a ser normalizada na próxima semana.

Cada motorista recebe cerca de R$ 11 mil por mês, o pagamento é feito por quilometro rodado. O motorista, Jackson Cavalcante, afirma que a dívida pode aumentar porque as contas do mês de dezembro ainda não foram fechadas. Segundo ele, o fornecimento foi suspenso porque falta dinheiro para manter os veículos circulando. “Não tem mais condições de abastecer nos postos de combustíveis e nem fazer a troca de óleo sem pagar na hora. Alguns não estão nem mais nos atendendo”, diz.

A operação-pipa estadual começou em setembro de 2015. Ela acontece em paralelo à distribuição de água que é feita pelo Exército. O fornecimento está prejudicado nas cidades de Porto da Folha, Nossa Senhora da Glória, Frei Paulo, Carira, Gararu, Itabi, Canindé de São Francisco, Poço Redondo, Monte Alegre e Poço Verde.

Na assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Mulher, Inclusão, Assistência Social, do Trabalho e dos Direitos Humanos (Seidh) a informação é de que a Secretaria da Fazenda (Sefaz) prevê que o repasse seja feito a partir da próxima terça-feira (11), após o pagamento dos servidores estaduais.

Foto: Arquivo ASN