Clóvis Barbosa afirma que “A corrupçãocontinua desenfreada em Sergipe

“A corrupção continua desenfreada em Sergipe. O caso do lixo precisa ser apurado com muito rigor”, diz Clóvis Barbosa

A polêmica sobre a contratação da nova empresa de coleta de lixo em Aracaju continua, após uma ação realizada por técnicos do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE), junto a Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb).

O clima tenso entre a administração municipal de Aracaju e o presidente do TCE, conselheiro Clóvis Barbosa, teve inicio após os técnicos do TCE terem recolhidos documentos da Emsurb, e segundo a PMA, isso foi feito sem autorização e de forma arbitrária.

Para o superintendente da Emsurb, João Paulo, os técnicos do TCE entraram na empresa de forma desrespeitosa, para tentar obter cópia do contrato emergencial firmado entre a PMA e a CAVO para a coleta do lixo na capital. Por conta disso, a Emsurb deu entrada a uma representação judicial junto ao TCE, contra o conselheiro e três técnicos.

As representações contra o conselheiro Clóvis Barbosa serão julgadas pelo Pleno do TCE no próximo dia 31, depois de serem analisadas pelo corregedor, conselheiro Luis Augusto Ribeiro.

Na manhã desta terça-feira (22), o presidente do TCE, Clóvis Barbosa afirmou em entrevista ao programa Fala Sergipe, que não irá se abalar e nem intimidar com as ações. “Não vou me abalar com nenhuma ação. Vou continuar o meu trabalho. Vamos continuar cumprindo o nosso dever”.

Ao final da entrevista, Clóvis Barbosa afirmou que há corrupção em Sergipe e que estas serão investigadas. “A corrupção continua desenfreada em Sergipe. O caso do lixo precisa ser apurado com muito rigor”, disse Clóvis informando ainda que “ações estão sendo realizadas junto ao Ministério Público Federal. Mas isso será revelado na próxima quinta-feira, após a semana santa”, explicou o conselheiro.

Fax Aju