Impeachment: Jackson diz que PMDB é uma salada geral

“O PMDB não tem um perfil ideológico, não é partido de esquerda, não é de centro, não é de direita. É uma salada geral”. A afirmação foi feita pelo governador Jackson Barreto (PMDB), ao Portal Infonet na manhã desta sexta-feira, 15, quando indagado sobre os telefonemas que ele recebeu da presidente Dilma Rousseff (PT) e do vice-presidente Michel Temer (PMDB), querendo saber sobre a posição dos deputados federais aliados em Sergipe. Isso na votação do processo do pedido de impeachment , que começa a ser votado hoje na Câmara Federal.

“A presidente telefonou pra mim e perguntou se eu tinha conhecimento da posição dos parlamentares de Sergipe, como votariam, eu passei pra ela a informação, nada além disso. Acho que publicar inverdades, é um pouco de ampliação do que não existiu”, afirma referindo-se a uma informação dando conta de que estaria sendo pressionado.

Sobre a provável posição do deputado federal Fábio Reis (PMDB), em apesar de fazer parte da base aliada em Sergipe, seguir definição do partido em nível nacional e votar favorável à saída da presidente Dilma Rousseff, Jackson Barreto foi enfático:

“Fábio Reis deve acompanhar o pensamento do partido em Sergipe, apesar de ser membro do PMDB nacional. Ontem eu recebi um telefonema do presidente do nosso partido e ele me disse: ‘olhe meu amigo, quando passar essa confusão toda, você vai passar aqui no meu gabinete pra gente tomar um cafezinho’, mas sorrindo, brincando comigo, conversando tranquilamente”, ressalta.

Salada

O governador Jackson Barreto destacou ainda acreditar que o real motivo do telefoema de Michel Temer, foi devido ter recebido a algumas informações sobre a situação em Sergipe.

“Eu tenho certeza que ele ligou pra mim porque ele recebeu algumas informações que não correspondem ao espírito do partido, porque o PMDB sempre foi uma frente política. O PMDB não tem um perfil ideológico. Não é partido de esquerda, não é de centro, não é de direita e é uma salada geral. De sorte que cada um tem o direito de ter a sua posição ideológica, como eu, que sempre tive posição ideológica, comecei assim e quero terminar assim”, desabafa.

Jackson Barreto [que é contrário ao impeachment] disse ainda não ter definido se vai acompanhar a votação do processo que pede a saída da presidente Dilma Rousseff da Presidência da República, daqui de Sergipe, ou em Brasília.

Por Aldaci de Souza / Infonet