Incêndio: MP reabre inquérito para investigar prefeito de Cristinápolis

O Ministério Público Estadual (MPE) reabriu o inquérito encaminhado pelo delegado Paulo Cristiano Ricarte, para investigar o incêndio criminoso na Câmara Municipal de Vereadores de Cristinápolis (SE), ocorrido em fevereiro deste ano, horas antes da votação da cassação do mandato do prefeito da cidade, o padre Raimundo Leal (PMDB).

Conforme informações da assessoria de comunicação da Secretaria da Segurança Pública (SSP/SE), a investigação da Polícia Civil concluiu que o prefeito Raimundo Leal e o secretário de transportes, Sandro de Jesus, são apontados como articuladores do crime. Como o padre tem foro privilegiado, o inquérito precisa ser reaberto e pode ser desmembrado para que o procurador geral de Justiça, Rony Almeida, dê continuidade aos procedimentos investigatórios.

A SSP/SE informou que os dois suspeitos chegaram a ser ouvidos pelo delegado, mas não confirmou se as declarações serão anexadas aos autos ou se serão feitas novas oitivas.

Na semana passada, quatro servidores da prefeitura suspeitos de participação no crime foram presos, um deles temporariamente. O prazo dessa prisão terminaria nesta quarta-feira (13), mas o MPE pediu a prorrogação para não comprometer o andamento das investigações. Os outros três suspeitos também continuam presos preventivamente. O inquérito tramita em segredo de justiça.

F5 News