Juresco define empate como "castigo" e critica acréscimo de cinco minutos

Um empate com sabor de derrota. Tudo bem que não deixa de ser um bom resultado para a equipe que participa pela primeira vez na Copa do Brasil e já enfrenta um time de Série B. O Canarinho do Piauitinga abriu o placar com um gol meio sem querer do Gabriel, mas sofreu um  nos minutos finais e o placar finalizou em 1 a 1 no Francão. Para Luiz Juresco, o resultado foi um "castigo" para a equipe. Ele também questionou o acréscimo dado na segunda etapa pelo árbitro. 

- Com certeza, né, um castigo pra nós. Porque, em primeiro lugar, eu não sei onde que o árbitro achou cinco minutos de acréscimo, porque não houve tantas paralisações durante o jogo. Mandamos no jogo, no primeiro e segundo tempo, quem esteve aqui no estádio ou ouviu de casa o jogo percebeu isso, mas o futebol é assim mesmo. Um pouquinho que a gente descuida já acontece o gol, infelizmente tomamos mais um gol de bola parada e ficou um a um - afirmou o técnico do Estanciano.

Para o treinador do Estanciano, mesmo com o empate, o elenco tem condições de se classificar na Copa do Brasil. Antes, time precisa se recuperar no hexagonal do Campeonato Sergipano, pois só tem um ponto até o momento.

- Isso não apaga nossas esperanças, o time provou mais uma vez que tem capacidade, vamos trabalhar para classificar, porém uma coisa de cada vez. Agora, vamos focar no campeonato sergipano, vamos trabalhar para encarar domingo o Boca Júnior - disse Luiz Juresco.

Porém, o que o treinador não sabia é que na manhã desta quinta-feira a Federação Sergipana de Futebol (FSF) mais uma vez mudaria a data do próximo jogo do Canarinho do Piauitinga. Ou seja, a equipe volta a campo no sábado, às 15h15, no Francão, contra o genérico argentino, tendo assim apenas dois dias para descansar e treinar.

Globo Esporte / SE