Todos os senadores de Sergipe votaram a favor do impeachment

Todos os senadores de Sergipe votaram a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) no Senado. Eduardo Amorim (PSC), Antonio Carlos Valadares (PSB) e Maria do Carmo Alves (DEM) também fizeram os seus pronunciamentos e apoiaram a continuidade do processo (assista aos vídeos abaixo).

O plenário do Senado Federal aprovou às 6h34 desta quinta-feira (12) a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff por 55 votos a favor e 22 contra. Com a decisão, ela fica afastada do mandato por até 180 dias. O vice-presidente Michel Temer deve assumir com o afastamento de Dilma.

No total, 71 senadores de todo o país se inscreveram para discursar na sessão iniciada na manhã de quarta-feira (11) e que durou mais de 20 horas. De acordo com o regimento do Senado, cada um teve o direito de se pronunciar por, no máximo, 15 minutos, por ordem de inscrição.

Depois dos discursos dos senadores, o relator do processo, Antonio Anastasia (PSDB), e o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, também se pronunciaram. Confira trechos dos discursos dos senadores durante a sessão:

Eduardo Amorim (PSC-SE) - a favor

"Os crimes de responsabilidades praticados pela presidente Dilma Rousseff trouxeram as piores consequências para o país e para o povo brasileiro. O país está quebrado, está sem credibilidade e foi rebaixado inúmeras vezes pelas principais agências de classificação de risco. Mais do que isso, a população brasileira, sobretudo os mais humildes está sofrendo o descaso do Estado brasileiro."

Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) - a favor

"A crise decorre, fundamentalmente, da desorganização do nosso sistema político." "O governo vai entregar pior o país do que recebeu. Estaremos piores na logístina, na relação externa com o resto do mundo. Governo que deixou a inflação voltar". 

Maria do Carmo Alves (DEM-SE) - a favor

"A fala de governabilidade, de grave crise econômica, atingiu a classe trabalhadora brasileira e hoje mais de 11 milhões de desempregados não sabem como voltar pra casa sem o sustento de sua familia. Estamos aqui para corrigir os erros constitucionais do nosso governo."

G1/SE