Fraca média de público na Série A-2 preocupa, e FSF liga sinal de alerta

A Série A-2 do Campeonato Sergipano começou há menos de um mês. Com três rodadas já realizadas, algo vem chamando a atenção: a fraquíssima média de público. Para se ter uma ideia, apenas 311 torcedores compareceram nas seis partidas realizadas no último fim de semana, média de 51,8 pessoas por jogo. O pior público foi o do confronto entre Coritiba-SE e Aracaju, no Etelvino Mendonça, em Itabaiana, de apenas 14 bravos torcedores.

A situação preocupa, e por isso, e Federação Sergipana de Futebol, entidade que organiza e promove a competição, ligou o sinal de alerta. Foi realizada uma reunião com os presidentes dos clubes que disputam a Série A-2 para tentar encontrar alternativas para tornar a segunda divisão mais atrativa. Foi cobrado também um maior empenho por parte dos dirigentes para melhorar este quadro.

Consequentemente, as rendas estão muito comprometidas. Nos seis jogos do fim de semana, a renda foi de R$1.730, média de R$288,33. Um dos principais fatores que podem explicar essa falta de interesse do público é que a Série A-2 é formada por muitos clubes novos, de empresários, com pouca tradição e torcida, como Independente, Coritiba-SE, Botafogo e Frei Paulistano. Maruinense, América e Propriá estão na linha dos clubes de maior representatividade. Os rivais da ribeirinha são os que conseguem levar mais gente para as arquibancadas. Mesmo assim, os números estão bem abaixo do esperado.

A COMPETIÇÃO

A Série A-2 do Campeonato Sergipano é disputada por 12 equipes, divididas em três grupos de quatro cada. Os clubes jogam em sistema de ida e volta na primeira fase, totalizando seis rodadas.

 O melhor de cada grupo, além do melhor segundo colocado por índice técnico, avançam de fase. A partir daí, mata-mata até a final. Os dois finalistas, além de disputarem o título de campeão, garantem automaticamente acesso para a primeira divisão de 2017.

Globo Esporte / SE