Valadares Filho: não me sinto derrotado, serei fiscalizador da próxima gestão

O deputado federal Valadares Filho (PSB), que perdeu a disputa para o prefeito eleito Edvaldo Nogueira (PCdoB), por Aracaju (SE), afirma não se sentir derrotado, e sim, vitorioso pelo grande número de votos que obteve no segundo turno. Em entrevista à Ilha FM, na noite deste domingo (30), o socialista disse que vai continuar trabalhando como deputado federal para melhorar a cidade e que será um fiscalizador da nova gestão.“Quero agradecer aqueles que confiaram na minha proposta, eu tive mais de 130 mil votos.

A cidade está divida. Eu quero parabenizar o nosso opositor, que democraticamente foi eleito, o que cabe a mim agora é respeitar o resultado das urnas, continuar como deputado federal ajudando Aracaju, Sergipe, cumprindo meu papel em Brasília e serei sim um grande fiscalizador da gestão de Edvaldo”, disse.Valadares ressalta que seu partido vai continuar fazendo oposição da nova gestão, contudo, segundo ele, será feita uma oposição construtiva. “Fazendo as cobranças necessárias para que a administração futura possa melhorar a vida das pessoas”, justificou.

Sobre voltar a disputar a Prefeitura da capital sergipana daqui a quatro anos, Valadares resumiu que as decisões sobre o futuro político serão tomadas no momento adequado.Essa foi a segunda vez que o candidato tentou assumir o Executivo Municipal. Este ano, no segundo turno, ele obteve 134.435 mil votos, 47.89% dos válidos.Valadares acredita que as abstenções podem ter refletido no resultado, mas diz ter convicção de que grande parte da população compreendeu a sua proposta de renovação.“Um candidato que tem 48% dos votos válidos não pode falar que o povo não acompanhou ou compreendeu a sua proposta. É complicado discutir pesquisas nessa eleição de Aracaju, tanto no primeiro, como no segundo turno. 

Estou com minha consciência tranquila, fiz uma campanha verdadeira, muito bonita, sincera, conversando com as pessoas, mostrando aquilo que pensávamos para o futuro de Aracaju, as pessoas mostravam que queriam a renovação. Democraticamente o povo escolheu o nosso adversário, as pessoas quiseram a continuidade do governo do Estado, enfim, cabe a mim nesse momento respeitar”, observou.Quanto ao nível da disputa e aos ataques pessoais que sofreu durante a campanha, Valadares afirmou que não poderia se portar do mesmo modo que o seu adversário.

“Aquele que defende uma política moderna, da proposta, de renovação, não pode cair na mesma baixaria do adversário, senão me igualaria a ele, e eu tinha uma proposta diferente, eu tenho um estilo moderno de fazer política, que é discutir propostas”, concluiu.

F5 News