Bolsa Família: mais de 20 mil benefícios irregulares em Sergipe

O Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDS) anunciou, nesta segunda-feira (7), que encontrou irregularidades em mais de 20 mil benefícios do Bolsa Família em Sergipe. 

A medida ocorre após pente-fino nos cadastros. O estado registrou o menor número de inconformidades entre os estados do Nordeste.

Após análise dos indícios de irregularidades, o Governo Federal decidiu cancelar o benefício para 8.016 mil beneficiários sergipanos. Outros 12.026 mil terão o benefício bloqueado.Ao todo, o Estado possui 273 mil cadastros no programa social, o que gera um custo de R$ 46 milhões mensais à União.

Em média, cada família recebe R$ 170 por mês. O valor varia de acordo com o nível de pobreza e a composição familiar.Os cancelamentos e bloqueios ocorreram porque o governo identificou que os beneficiários do Bolsa Família atingidos pela medida tinham renda acima da declarada oficialmente. 

Nos casos em renda per capita mensal dos beneficiários superava R$ 440, houve cancelamento. Já as famílias com renda mensal per capita entre R$ 170 e R$ 440 tiveram o benefício bloqueado.No caso dos bloqueios, os usuários têm até três meses para comprovar que cumprem os requisitos do programa de distribuição de renda e podem voltar a receber o benefício.A pasta também convocou 1,4 milhão de famílias para fazer atualização cadastral em janeiro de 2017. A atualização destina-se aos beneficiários com renda abaixo de R$ 170, mas em cujas informações prestadas foi encontrada alguma inconsistência. Os municípios serão comunicados sobre a atualização a partir desta terça-feira (8).

O governo anunciou que, a partir de agora, o pente-fino nos benefícios do Bolsa Família ocorrerá todos os meses. Outra novidade é que a análise de possíveis irregularidades será prévia à concessão de novos benefícios. 

Segundo o MDS, ainda este mês, o governo deve anunciar um programa de inclusão produtiva, destinado a auxiliar a inclusão da população assistida pelo Bolsa Família na atividade econômica.

Com Agência Brasil