Como as propinas da Odebrecht podem ter passado por Sergipe

Em acordo de leniência, a Odebrecht tem até o próximo dia 30 para apresentar lista completa de doações oficiais, propinas e caixa 2 nas eleições dos últimos 16 anos, ou seja, desde as eleições de 2000.

A determinação está em dos termos do acordo de leniência que a Odebrecht fechou com a força-tarefa da Lava-Jato, em Curitiba.

Eleições

2000 - municipais

2002 - estaduais e presidenciais

2004 - municipais

2006 - estaduais e presidenciais

2008 - municipais

2010 - estaduais e presidenciais

2012 - municipais

2014 - estaduais e presidenciais

Sergipe

Quem acompanha a política de Sergipe, sabe, ou já ouviu falar, das andanças da Odebrecht em Sergipe, de suas relações com governadores.

Até agora, o único nome de Sergipe que apareceu no que foi divulgado pela imprensa é o do ex-governador e ex-prefeito de Aracaju João Alves Filho (DEM). Estar no que a imprensa batizou de ¨lista da propina¨ não quer dizer necessariamente que tenha recebido dinheiro sujo da empreiteira.

João nega, desde o primeiro segundo depois da divulgação, que tenha recebido propina.

NE Noticias