SSP vai acompanhar investigação da morte de criança com arma da polícia

Um menino de quatro anos morreu após atirar contra a própria cabeça. O garoto teria pego, em cima de um armário, uma pistola .40 do pai dele que é policial civil em Sergipe. Na manhã desta sexta-feira (6) o delegado geral de Polícia Civil, Fábio Pereira, interino no cargo, conversou com o pai que está em estado de choque e ainda em Pernambuco, onde o caso registrado na quinta-feira (5) será investigado.

A Secretaria de Estado da Segurança Pública de Sergipe (SSP/SE) confirmou que o pai da criança é um policial civil formado na última turma. Segundo informações de Fábio Pereira, que já entrou em contato com a delegacia do interior de Pernambuco, um inquérito será instaurado para investigar a situação por ter sido um caso de morte violenta.

A informação inicial é que o menino será enterrado no sertão pernambucano, pois a família do policial mora na região.

Entenda o caso

De acordo com a Polícia Militar, que acompanhou o caso em Pernambuco, “a família se descuidou por alguns momentos e a criança atirou contra a própria cabeça”.

A Polícia Civil local disse que a família relatou que o pai deixou a arma em cima de um armário, então a criança subiu em um banquinho, pegou a pistola .40 e atirou. O garoto foi socorrido. 

O Hospital Doutor Lídio Paraíba, em Pesqueira, no Agreste pernambucano, informou ao G1 que ele deu entrada na unidade sem vida. O hospital disse ainda que os médicos tentaram reanimar o menino, mas não obtiveram êxito.

O corpo da criança foi levado ao Instituto de Medicina Legal (IML) em Caruaru, no Agreste. A Polícia Civil de Arcoverde vai investigar o caso.

G1/SE