Em clássico eletrizante, Confiança vence o Sergipe e assume a liderança

Clássico por si só já é motivante. E quando tem reencontros de quem já esteve no rival? E quando vale liderança? E quando os dois estão invictos? E quando tem acusação de escalação irregular por parte do rival? Todos esses ingredientes estiveram presentes no caldeirão da Arena Lourival Baptista no primeiro Clássico Maior do ano. Quer outro elemento para dar mais sabor a esse caldo? Um pênalti com menos 10 minutos de jogo em cima do artilheiro da competição. 

Tito foi para a cobrança e abriu o placar para o Confiança. No segundo tempo, as coisas se complicaram ainda mais para o Sergipe. O Confiança pressionou e chegou ao segundo gol com Rafael Villa. Depois disso, os proletários continuaram controlando o jogo. Nos minutos finais, uma expulsão para cada lado. Flávio, que havia acabado de entrar no time do Confiança, se estranhou com Fabiano Tanque e ambos foram para o chuveiro mais cedo. Felipe diminuiu nos acréscimos mas era tarde para buscar o empate.

Com o gol de pênalti, que abriu o caminho da vitória do Confiança. Tito chegou ao quinto gol na competição e abriu larga vantagem na artilharia. O jogador vem sendo um dos pilates neste trabalho de reconstrução do Confiança.

Com essa vitória no clássico, o Confiança assume a liderança nesta primeira fase, com 14 pontos, ao lado do Itabaiana, que venceu o Boca no último sábado por 1 a 0. O Sergipe perde a invencibilidade e cai para terceiro, com 11 pontos. Ambos estão na zona de classificação para o hexagonal. 

O Sergipe volta a jogar pelo Campeonato Sergipano na próxima quarta-feira, dia 22 de fevereiro, contra o Boca Júnior, às 20h15, na Arena Batistão. No dia seguinte, o Confiança encara o Frei Paulistano, no mesmo horário, lá na cidade de Frei Paulo. Os dois jogos são válidos pela 6ª rodada da primeira fase. Estranhe não, a 7ª rodada foi disputada antes da 6ª. Às vezes acontece!

Clássico picante

O jogo começou quente na Arena Batistão. Os dois times iniciaram a partida em ritmo frenético e com nervos exaltados. Logo aos 10 minutos, polêmica no clássico. Após contato entre Gil Baiano e Tito na área, o árbitro Cláudio Francisco Lima e Silva marcou a penalidade. O próprio Tito foi para a cobrança e mandou no canto esquerdo. Ferreira pulou no lado certo, mas não alcançou a bola. O Sergipe tentou o troco em três lances minutos depois, dois com Wallace Pernambucano e um com Davi Ceará, todas as finalizações foram parar na linha de fundo. É de se destacar também o primeiro tempo de Rafael Villa, pelos proletários, que foi um dos principais articuladores do time. O Confiança foi para o intervalo com a vitória parcial.

No segundo tempo o técnico Betinho tirou Welton, que tinha o amarelo, e colocou em campo o meia Gabriel Cajano, além de ter deslocado Ramalho para a lateral direita. A escolha foi meio confusa e o Sergipe não melhorou no jogo, pior, caiu de produção. Rafael Villa, no reencontro com o ex-clube, fez um golaço e ampliou a vantagem proletária no jogo. O Sergipe pouco chegava, que quando se aproximava do gol adversário, finalizava sem direção. Mas quando parecia que os colorados não tinham mais forças para qualquer reação, Felipe aproveitou a sobra e mandou no canto direito de Henrique. O clássico pegou fogo, porém o empate não saiu.

Globo Esporte / SE