Em Sergipe, 17 prefeitos recebem subsídio igual ou superior a R$ 30 mil

O presidente do Tribunal de Contas de Sergipe, Clóvis Barbosa, apresentará na próxima sessão do Pleno, na quinta-feira, 2 de março, um levantamento sobre os salários atualmente pagos aos prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, secretários e demais autoridades municipais. Um levantamento prévio produzido pela Diretoria Técnica (Ditec) do TCE identificou uma disparidade muito grande de salários pagos entre municípios e também em relação à realidade dos próprios municípios.

Segundo o presidente, ao menos 17 prefeitos recebem subsídio igual ou superior a R$ 30 mil. Desses, 15 administram municípios com população menor do que 20 mil habitantes. E, pior, 11 desses prefeitos são de municípios que apresentam IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) baixo ou muito baixo.

“Será que é razoável o prefeito de uma cidade de pouco mais de 12 mil habitantes, com IDHM na sua pior faixa, receber mais do que o prefeito da capital, por exemplo?”, perguntou Clóvis Barbosa, na sessão do Pleno desta quinta-feira, 23, acrescentando que a Ditec aguarda apenas que os prefeitos respondam ao Ofício Circular 005/2017 enviado a eles para concluir o levantamento que será apresentado na próxima semana.

“Sem dúvida, com este estudo estaremos não só apurando os valores dos subsídios sob o prisma da constitucionalidade, mas, principalmente, auxiliando populações locais a cobrarem ainda mais empenho de seus prefeitos e vereadores”, disse o presidente do TCE.

TCE