Em Sergipe, 51% das meninas não têm imunização adequada contra o HPV

Cerca de 50% das meninas de 9 a 14 anos não estão com esquema vacinal do HPV completo em Sergipe, ou seja, elas não tomaram as duas doses necessárias para que fiquem imunes ao vírus. Os dados foram divulgados pelos ministérios da Saúde e da Educação.

Segundo o Ministério da Saúde, 92,5% das meninas sergipanas tomaram a primeira dose e 49% a segunda, garantindo a imunização. "São 16 mil mulheres que têm câncer provocado por HPV, 5 mil mortes por ano por esses cânceres provocados por HPV. 

Portanto, a vacinação do HPV é fundamental para diminuir o impacto na saúde dos brasileiros", enfatizou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.Para reforçar a importância e tentar alcançar mais meninas, os ministérios reforçaram parceria e lançaram campanha publicitária e de conscientização. 

Além disso, haverá vacinação nas escolas. Serão distribuídas 10,5 milhões de doses contra o HPV para vacinar 8,3 milhões de meninas e meninos – incluídos este ano no esquema de vacinação."A vacina só é efetiva se tem cobertura acima de 70% e se as duas doses são tomadas pelas meninas", reforça a coordenadora-geral do Programa Nacional de Imunizações substituta, Ana Goretti Maranhão. A campanha será em escolas públicas e privadas. "Vamos mudar o enfoque. Levar essa vacina para onde o adolescente está é fundamental para essa cobertura".

A ampliação da cobertura para garotos este ano inclui meninos de 12 e 13 anos. A faixa etária será ampliada até 2020, quando chegará a meninos de 9 a 13 anos. A expectativa é imunizar mais de 3,6 milhões de meninos. Também serão imunizadas 99,5 mil crianças e jovens de 9 a 26 anos vivendo com HIV/aids, além de pessoas imunocomprometidas, transplantadas de órgãos ou medula óssea e pacientes oncológicos.

A inclusão de meninos, segundo Ana Goretti, traz equidade. "Todos os estudos evidenciam que o HPV tem desfecho negativo não só nas meninas como nos meninos", diz.

Ajuda de Youtuber

A campanha publicitária do governo incluirá games – o jogo Detona Vírus estará disponível para iOS e Android a partir do dia 19 deste mês – webséries, cartazes, jingles, outdoors e conteúdos especiais para WhatsApp e para as redes sociais do Ministério da Saúde, entre outras ações.

As escolas receberão material informativo sobre as doenças e suas consequências, e serão enviadas cartas para professores, alunos e familiares alertando sobre a importância da vacinação.Outra estratégia adotada pela pasta será a contratação do youtuber Zangado, que tem um canal sobre games. Com mais de 3,5 milhões de seguidores, Zangado dará dicas de como passar de fase no jogo do ministério.

*Com Agência Brasil