Itabaiana sofre pressão, Genivaldo salva e Tricolor segue líder; Sergipe cai para 4º

Neste domingo, Itabaiana e Sergipe fizeram o segundo Clássico da Paz da temporada 2017. E o placar foi o mesmo do primeiro duelo, ainda na primeira fase, zero a zero. Os gols não saíram principalmente porque Genivaldo estava inspirado. Ailton Silva usou um time misto, mas não quis mexer no goleiro e não deve ter se arrependido por isso. Ele salvou muito o time tricolor na partida. 

No lado rubro, força total praticamente, de diferente Betinho só optou por João Ricardo, poupando Ferreira que teria ficado doente às vésperas da partida. E João também foi bem quando acionado, além de contar com a sorte no chute de Pedro Pires, que acertou a trave esquerda dele.

Com o resultado, o Itabaiana permanece líder, agora com 10 pontos. Sergipe cai para o 4º lugar, atrás do Boca Júnior e do Confiança, que venceram na rodada. Também pelo hexagonal o Frei Paulistano foi goleado em casa pelo genérico argentino, 3 a 0. E no quadrangular da permanência, o Botafogo de Cristinápolis foi goleado pelo Lagarto em Simão Dias. Para o alvinegro, marcou Rodrigo. Os gols do alviverde lagartense foram marcados por Robertinho, Kessi, Misso, Afonso e Bruno. 

Vale ressaltar que a quinta rodada que estava marcada para o meio da próxima semana foi adiada pela FSF. A justificativa ficou por conta das participações de Itabaiana e Sergipe na Copa do Nordeste no meio e final da próxima semana. Depois dos jogos deste domingo, o Campeonato Sergipano dá uma pausa e volta no dia 5 de abril.

Primeiro tempo

Tudo começou com a divulgação das escalações. O Sergipe poupou Ferreira, que teria ficado doente na véspera da partida, mas foi para o banco de suplentes. Já o Itabaiana utilizou um time misto deixando, por exemplo, o zagueiro Heverton e o atacante Paulinho Macaíba na reserva. E em campo o que se viu em boa parte da primeira etapa foi um visitante ousado, tendo maior posse de bola e, com isso, chegando mais ao gol de Genivaldo, tanto pela esquerda quanto pela direita. Vale ressaltar que os volantes rubros Ramalho e Welton dominaram o meio de campo. 

A primeira boa chance do jogo veio com Calyson, aos 18 minutos. Livre de marcação ele finalizou mal, quase na marca do pênalti. Aos 39, Vicente pegou a sobra do escanteio e chutou forte. Genivaldo fez boa defesa. O Tricolor da Serra demorou a acordar. Chegava raramente e, principalmente pelo meio com Pedro Pires e em cobranças de falta de Tiago Garça. Só aos 41 foi que o Tremendão assustou o goleiro João Ricardo. Pedro Pires tentou marcar, o goleiro rubro espalmou e, no rebote, Diego Neves recebe o passe e, de voleio, manda pra fora. A melhor chance do Tremendão até o momento. Um minuto depois Calyson teve mais uma chance após tabela com Vicente, porém mandou longe do gol. E assim foi o primeiro tempo, o placar ficou do mesmo jeito que o jogo começou: 0 a 0.  

Segundo tempo

O Sergipe voltou para o segundo tempo com a mesma pegada. Pressionando os donos da casa e finalizando muito mal. Quando a equipe rubra conseguia acertar o gol, Genivaldo salvava o Tricolor da Serra. O goleiro foi decisivo para o Tremendão não ter saído derrotado do clássico. Só na etapa final Genivaldo fez quatro defesas difíceis, entre elas os chutes de Filipe Ribeiro (aos 10 minutos) e Elton (aos 27 minutos). Além disso, nas outras vezes faltou pontaria aos jogadores do Mais Querido. 

O goleiro do Sergipe, João Ricardo, também trabalhou e contou com a sorte. Aos 18 minutos, Pedro Pires colocou nas pernas do marcador, chutou e a bola foi na trave. Aos 39, após uma boa arrancada de Geovane, o arqueiro levou a melhor e fez a defesa. Do meio para o final da partida o Tremendão melhorou e ficou revezando nos contra-ataques com o Colorado. Mesmo assim ninguém conseguiu marcar e o Clássico da Paz ficou mais uma vez no 0 a 0.

Globo Esporte / SE