Risco de suspensão da hemodiálise em Sergipe, diz advogado

9 de março, é o Dia Mundial do Rim, mas não temos nada a comemorar, diante do fato de que o serviço de hemodiálise pode ser suspenso a qualquer momento em Sergipe, pois o Governo do Estado acumula uma dívida de quase 10 milhões com a empresa prestadora dos serviços, que afirma não conseguir manter a continuidade dos atendimentos.

Quem faz a denúncia é Hebert Pereira, suplente de vereador pela Rede Sustentabilidade, que teve acesso ao processo judicial onde a empresa prestadora de serviço acionou a justiça, pedindo autorização para paralisar os serviços, diante impossibilidade de continuar por falta de recursos.

De acordo com Hebert, no Processo nº 201511801633, que corre na 18ª Vara Cível de Aracaju, a justiça já tinha autorizado a suspensão das atividades da empresa em fevereiro de 2016, pelo mesmo motivo. E, segundo consta na petição juntada no processo no dia de ontem, de lá para cá, os serviços foram mantidos por conta de um acordo feito, mas que passou a ser descumprido, não sendo obtida uma posição do Governo após várias cobranças e da notificação da empresa acerca da impossibilidade de continuar a manter pessoal e material para prestar o serviço.

“A empresa solicita autorização judicial pois certamente está no seu limite e sabe que a paralisação dos serviços de hemodiálise irá causar a morte de pacientes renais que dependem da regularidade dos serviços. A situação é muito grave! É necessária uma atitude urgente dos gestores da saúde, dos órgãos de controle e de toda a sociedade, pois são vidas em risco”, afirmou Hebert.