Sergipe tem mais de 140 mil pessoas com nomes no SPC

Os cerca de 140 mil sergipanos que estão inadimplentes e com os nomes negativados no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) têm a oportunidade de negociar as dívidas e limpar o nome. As negociações estão sendo feitas por meio de um convênio da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) firmado com Media (Câmara de Mediação).

"O intuito é tentar baratear o custo das ações por parte do lojista e desafogar, também, o Tribunal de Justiça. E, como nossa intenção é a de fazer a conciliação entre o lojista e o consumidor, houve a necessidade de uma empresa que tenha a chancela do Conselho Nacional de Justiça [CNJ], que é o caso da Media, que é quem valida e tem cunho executivo. Ou seja, quando feita a mediação as partes já saem com a obrigação de cumprir", explica o presidente da CDL, Breno Barreto.

A iniciativa, segundo ele, partiu devido ao alto índice de inadimplência nos registros da CDL. "Estamos dando mais uma ferramenta aos lojistas para eles tentarem conciliar porque ninguém quer estar inadimplente por querer. É a situação em que se encontra o país e Sergipe está dentro desse contexto", diz, ao ressaltar que embora a prioridade seja dos quase 2 mil lojistas associados à CDL, nada impede que outros lojistas usufruam do serviço.

A advogada mediadora e sócio administradora da Media, Ana Sarmento, explica que a iniciativa da CDL facilita o acesso do consumidor ao credor. "A nossa Câmara Media é associada ao Tribunal de Justiça local e validada pelo CNJ. Então, em nível de Estado só nós podemos fazer esse tipo de serviço com o judiciário fora do judiciário. A finalidade é promover o encontro das partes para que eles juntos possam fechar um acordo que seja bom para um e bom para outro", informa.

A Câmara de Mediação teve início nesta terça-feira, 14, às 9 horas, e está aberta para os consumidores interessados em negociar todas as terças e quintas das 9h às 16 horas, na sede da CDL, em Aracaju. "Eu tenho consciência da minha dívida e quero resolver essa situação. Por isso que assim que fiquei sabendo dessa iniciativa da CDL vim aqui. Estou devendo ao cartão de crédito desde dezembro do ano passado, meu nome já está negativado e pretendo negociar", informa o assistente administrativo, Luiz Lima.