Delegados não darão plantões extras no interior

A Associação dos Delegados de Polícia de Sergipe (Adepol) decidiu, em assembleia realizada nesta quarta-feira, 19, manter as estratégias para ter suas reivindicações atendidas por parte do Governo do Estado.

Nas pautas da categoria são exigidas a isonomia com a carreira dos procuradores, carga horária igual à da Polícia Militar (PM), gratificação para delegados que acumulam delegacias e correção da remuneração financeira transitória  por atividade de plantão.

Plantões extra foram suspensos em 27 delegacias do interior e telefones funcionais desativados. Cogitou-se a possibilidade de os delegados entregarem cargos, o que não aconteceu. Josefa Valéria, diretora da Adepol, já havia adiantado que a tendência é que não houvesse mesmo recuo da classe. 

“A Secretaria de Estado de Planejamento (Seplag) irá entregar ao governador Jackson Barreto um estudo de impacto das reivindicações. Uma reunião deve acontecer na próxima semana”, comentou. A assessoria de Comunicação da Seplag confirmou que a reunião acontecerá, englobando este e outros assuntos.

A diretora falou ainda que as mudanças na cúpula da SSP em nada influenciaram na decisão da Associação. “Nossa pauta é com o Governo, e não com a Secretaria. Houve aquele caso da suposta coação por parte do delegado geral Alessandro Vieira, então só esperamos uma postura mais democrática de Katarina Feitosa [delegada geral da Polícia Civil recém nomeada].

Por Victor Siqueira e Verlane Estácio