Dívidas da gestão anterior inviabilizam distribuição de peixes em Tomar do Geru

O Município de Tomar do Geru  localiza-se na região Sul do Estado, fica a 131 quilômetros de Aracaju. Atualmente governado pelo experiente prefeito Pedrinho de Balbino (SD).  O atual gestor já governou o Município na década de 90, como também teve sua esposa  prefeita do referido município.  Uma das ações presentes nas duas gestões foi a distribuição de peixes para o consumo na Semana Santa.

Este ano o prefeito Balbino  lamenta a camisa de força  a qual o  município foi submetido por conta dos atos da gestão anterior. De acordo com o prefeito atual a Prefeitura está atolada em dívidas que chegam as cifras dos 25 milhões de reais. 

Há dívidas com servidores municipais, INSS, FUNPREV, FGTS, empréstimos consignados de servidores na Caixa Econômica, Bradesco, Banese, Banco do Brasil; contrapartida de obras, DESO, SULGIPE, prestadores de serviços, locação de veículos, empresa de limpeza e coleta de lixo, postos de gasolina, borracharia, papelaria, Consórcio Regional do Lixo, Associação dos Municípios, merenda escolar, contas de telefone, escritório de contabilidade, Igreja Católica, Diocese de Estância.  Esse "presente de grego" leva  a gestão  atual   não ter condições  de fazer a distribuição do peixe da Semana Santa. "A situação do Município é caótica", justifica o prefeito. 

O  prefeito Balbino  emitiu uma Nota de Esclarecimento (áudio) que foi compartilhada nas redes sociais dando ciência da situação crítica em que o Município  enfrenta e explicando a razão  que o impede de  ajudar as famílias com a distribuição do marisco da Sexta-feira Santa.  Além dessas dívidas, o município enfrenta o problema da escassez de água nos povoados tendo que a Prefeitura socorrê-los com carro-pipa.  

De acordo com o prefeito, mesmo com as chuvas que caíram,  ainda não  foi o suficiente para atender a demanda.  Há cerca de um mês o Município decretou emergência  na zona rural, o Ministério da Integração reconheceu a necessidade do município, mas segundo o prefeito Balbino, não aconteceu nenhum repasse de ajuda até o momento. "Talvez pelo município não ser sertão e sim semi-árido, sendo assim, não consta na lista de ajuda  emergencial do Governo Federal, contanto,  nós estamos acreditando na ajuda que possa chegar para que possamos socorrer nosso povo da zona rural", reforçou o prefeito Pedrinho.

Parabólica News
Por: Genílson Máximo