Preço do chocolate sobe 12,61% e encarece ovo de Páscoa, aponta Fecomercio

Quem não abre mão do chocolate deverá gastar mais para comprar ovos de Páscoa neste ano. É o que revela uma pesquisa encomendada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), nesta segunda-feira (10). Segundo o órgão, os preços dos chocolates em barras e bombons subiram 12,61% nos últimos 12 meses.

Os aumentos dos preços de chocolate ocorrem mesmo com a desaceleração da inflação, que acumula 4,57% de alta nos últimos 12 meses.

Os preços elevados devem segurar a venda dos ovos de Páscoa, que devem ter um aumento significativo, segundo a Fecomercio. O consumidor ainda está cauteloso com os gastos e deve considerar que o valor do quilo do chocolate dos ovos costuma superar os de uma mesma quantidade de chocolate em barra, estima a Fecomercio.

"A Federação acredita que a Páscoa tende a gerar pouco efeito para as vendas do comércio, muito embora a estimativa seja de um incremento na mão de obra temporária de cerca de 2 mil trabalhadores para o varejo, muito por conta que os empresários estão recompondo paulatinamente seus quadros de funcionários", disse a entidade, em comunicado.

Ceia de Páscoa

Além do chocolate, outros itens comuns na mesa do brasileiro na ceia de Páscoa ficaram mais caros. A pesquisa ainda aponta alta de preços na cerveja (11,16%) e nos ovos de galinha (6,27%). Por outro lado, cebola e a batata inglesa, por exemplo, que foram as vilãs da ceia em 2015, com aumento de 60% e 34%, respectivamente, nos preços, exibiram quedas de 51% e 42% neste ano.

Outros produtos, como o pimentão, tomate, brócolis e alho acumulam baixas que variam entre 6% e 27%.