Se foi mesmo convidado para comandar o PMDB em Sergipe, Eduardo Amorim errou ao perder a oportunidade de derrotar Jackson

O senador Eduardo Amorim (PSDB) disse no último dia 29, em entrevista a Gilmar Carvalho (MIX FM, Atalaia e Cidade AM, de Simão Dias), que foi convidado por membros da Executiva Nacional do PMDB para comandar o partido, liderado em Sergipe pelo governador Jackson Barreto.

Eduardo disse na entrevista que não aceitou porque já havia assumido o compromisso de filiar-se ao PSDB.

Sem duvidar da palavra do senador, se realmente recebeu o convite, cometeu gravíssimo ao não aceitá-lo.

Certamente, o PSDB entenderia sua ida para o PMDB por causa da disputa local com o governador. Se não entendesse, daria demonstração de não merecer sua filiação.

Eduardo Amorim comandando o PMDB em Sergipe seria o fato político de 2017 no Estado, vingança comida em prato frio por ter perdido a eleição de 2014 para Jackson.

Sua filiação ao PSDB em nada mudou, nem mudará o quadro político em Sergipe.

Sua chegada ao comando do PMDB seria o recado a Jackson, e ao eleitorado sergipano, de que o governador não é tão grande quanto pensa.

NE Noticias