SSP diz que empresário da Torre tentou cometer fraude

A Secretaria de Segurança Pública (SSP/SE) detalhou na tarde desta segunda-feira, 10, a prisão do dono da Torre Empreendimentos José Antônio Torres Neto, detido em Salvador no último domingo, 9. A prisão faz parte da Operação Babel, desencadeada pela Polícia Civil por meio do Departamento de Crimes contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap).

A prisão do empresário, segundo a SSP, foi motivada devido a José Antônio ter tentado realizar uma fraude processual majorada [é quando alguém busca criar um fato ou adulterar alguma prova no curso do processo com objetivo de enganar a justiça].

De acordo com o delegado Alessandro Vieira, o empresário apresentou aparelhos celulares que não era de seu uso pessoal. “Ele entregou um aparelho que não tinha nenhuma vinculação com seu uso deliberadamente e fez isso tentando iludir a justiça. A partir desse momento, se mostrou necessário que fosse submetido uma medida cautelar de urgência especialmente a prisão preventiva”, conta Alessandro Vieira.

Ainda segundo a polícia, momento antes da prisão, José Antônio ainda tentou se desfazer de um outro aparelho celular.

“Durante o momento em que foi efetuada a prisão, ele solicitou que tivesse acesso ao banheiro que foi devidamente autorizado. Inclusive neste momento foi informado que o motivo da prisão era o fato dele ter apresentado telefones celulares diferentes daqueles que estavam previstos na busca. Mesmo assim, ele solicitou que fosse ao banheiro e lá ele tentou descartar outro telefone que estava em seu poder, provavelmente com conteúdos importantes. Diante das diligências de um policial que nos acompanhava, ele entrou no banheiro e depois que ele [empresário] saiu, o policial entrou no compartimento em que ele se encontrava e lá identificou que na lixeira estava um telefone enrolado. Ele [José Antônio] confirmou que o telefone pertencia a ele e por acidente teria caindo na lixeira”, conta delegado Gabriel Nogueira, do Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap), no momento da prisão, o empresário ainda descartou um aparelho celular.

O empresário permanece na 1ª Delegacia Metropolitana. As investigações prosseguem e deverão ser concluídas na próxima terça-feira, 18, quando será encaminhado ao judiciário.

Torre

A empresa Torre Empreendimentos encaminhou Nota Pública à imprensa ressaltando que não existe irregularidades nos contratos. Leia nota na íntegra.

Por Aisla Vasconcelos