Delegados cobram resposta do governo de Sergipe

Os delegados de Polícia Civil voltaram a cobrar uma resposta do governo de Sergipe quanto às reivindicações da categoria, apresentadas há cerca de oito meses. Os profissionais alegam que o Estado estaria postergando a negociação e, por isso, a Associação dos Delegados de Polícia Civil (Adepol) agendou uma nova assembleia para traçar novas mobilizações.

O delegado Paulo Márcio Cruz, presidente da Adepol, diz que a nova gestão da Secretaria da Segurança Pública (SSP/SE) tem se esforçado para cumprir o acordo firmado em torno da regularização da jornada de trabalho, fim de delegacias e reajuste da remuneração dos plantões. No entanto, para a Adepol, o governo estaria sem interesse de atender às  demandas expostas há 240 dias.“O Governo, como sempre, tem outras prioridades, e já remarcou pela terceira vez uma reunião que devia ter sido realizada na quinta-feira passada. 

A promessa é de que na próxima terça-feira o secretário de Segurança e a delegada-Geral se reunirão com os secretários da Seplag, Segov e Casa Civil para concluir essa primeira fase da negociação. 

Mas, particularmente, não acredito que essa reunião vai ser feita, por absoluta falta de compromisso do Governo”, afirma Paulo Márcio.No mês passado os delegados suspenderam os plantões extraordinários e entregaram as delegacias acumuladas. No começo de maio, foi realizada uma paralisação de 72 horas e, agora, a Adepol convocou uma nova assembleia extraordinária para que os delegados definam novas formas de pressionar o governo. A reunião está marcada para a próxima quarta-feira (31).

Foto: Arquivo ASN