Repórter de jornal é a pior profissão do ano, diz estudo

Ser repórter de jornal é a pior profissão de 2017, segundo um estudo da consultoria CareerCast, nos Estados Unidos. 

O levantamento levou em consideração o salário, expectativa de crescimento no emprego, competitividade, grau de estresse e riscos à segurança pessoal. 

A expectativa de crescimento no emprego para repórteres é negativa, de -8%, segundo o estudo. 

Em segundo lugar, ficaram os profissionais de rádio e TV ("broadcasters"), com uma expectativa de crescimento de -9%. 

Os lenhadores estão na frente dos jornalistas na lista, na terceira posição - nos Estados Unidos, eles ganham praticamente o mesmo que repórteres de jornal, US$ 37,5 mil por ano (US$ 3,1 mil por mês). 

Em seguida, ficaram os militares, trabalhadores do controle de pragas urbano, DJs, vendedores de anúncios e bombeiros, nessa ordem.