Ribeiro Neto diz que vai focar no trabalho psicológico para time sair da crise

O Sergipe vive uma crise técnica desde que perdeu os clássicos para Itabaiana e Confiança ainda no Campeonato Sergipano. Após duas derrotas no Campeonato Brasileiro da Série D, o novo técnico da equipe, Ribeiro Neto, tem uma tática para mudar a situação do Colorado na temporada. E não tem nada com trabalho de campo.

- Chego com a maior naturalidade possível porque eu reconheço que esses momentos são assim mesmo, já vivi vários. E é lógico que o torcedor quer ganhar, a essência dele, e o que pode reverter essa crise são as vitórias. É muito difícil a torcida reconhecer que o time perdeu, mas jogou bem, tem que ganhar. Vamos trabalhar para isso, só o trabalho pode mudar isso. 

Naturalmente vamos combater nesse lado psicológico. Só no primeiro dia eu falei para eles por quase duas horas e sem me preocupar com a parte​ de campo ainda porque o fundamental agora é tratar esse aspecto, é o principal - ressaltou o novo técnico do Sergipe.

Sem trabalhar como treinador há cinco anos, Popó da Gávea, como é conhecido, disse que não vai ter dificuldades em voltar ao comando de uma equipe. Antes de fechar com o Sergipe, ele atuava como comentarista esportivo.

- Não terei nenhum problema. Eu tenho 30 anos como treinador de futebol, seis títulos e outras passagens vitoriosas. Aqui mesmo no Sergipe, além de título, eu já cheguei em um momento que o time estava brigando para não cair e nós conseguimos evitar o rebaixamento e por pouco não chegamos à final. Classifiquei o time, tive que operar o olho e Rocha assumiu. 

Então eu nunca estou fora do futebol porque quando não estou na rádio ou como treinador eu acompanho pelo computador, converso com pessoas de todo o mundo em uma rede que fizemos para discutir assuntos do futebol, eu durmo com um quadro do meu lado. Sem contar nos jogos que acompanho. 

E hoje o futebol está óbvio, é tática, preparação física e parte psicológica, com exceção de grandes potências como Barça, Real, Juventus e Bayern de Munique, que destoam - explicou Ribeiro Neto.

Globo Esporte / SE