Delegados de polícia poderão paralisar atividades no São João

Se nenhuma providência for tomada por parte do vice-governador, Belivaldo Chagas, e dos secretários de Planejamento e Gestão, Rosman Pereira e de Governo, Benedito Figueiredo, a respeito das questões financeiras e jurídicas da Polícia Civil, os delegados de polícia poderão parar suas atividades durante o período de São João, é o que deixa claro o presidente da Associação dos Delegados de Polícia de Sergipe (Adepol), Paulo Márcio. 

Segundo nota enviada pelo presidente da Adepol, os projetos relacionados à categoria estão sob apreciação da alta cúpula do Governo do Estado e tanto o Belivaldo, quanto Rosman, já decidiram atender os pleitos da categoria da Polícia Civil. 

A reunião, marcada para esta tarde, ainda está em andamento e os dois tentarão convencer Benedito Figueiredo a acatar os projetos, encaminhando-os para a Assembleia Legislativa (Alese). Se houver a negativa do secretário, os delegados considerarão mais uma negociação sem sucesso, e poderão se recusar a trabalhar no período de festejos juninos. 

“Considerar-se-á, mais uma vez, frustrada a negociação, a menos que o Governador, a despeito das ingerências e excesso de burocracia, tome as rédeas do processo e, a exemplo do que fez em relação à PGE em novembro de 2016, envide todos os esforços para que os projetos sejam aprovados antes do dia 30 de junho de 2017”, disse Paulo Márcio em nota, lembrando que a Procuradoria Geral do Estado (PGE) está tentando interferir na negociação entre a categoria e o Governo do Estado. 

Os pleitos dos delegados são a regulamentação da carga horária para todos os componentes da polícia civil, definições a respeito do acúmulo de delegacias e remuneração pelos trabalhos realizados em atividades extraordinárias.

F5 News