Irmã de Aécio, Andrea Neves deixa a prisão

A irmã do senador afastado Aécio Neves, Andrea Neves, deixou no final da madrugada desta quinta-feira (22) o Complexo Penitenciário Estevão Pinto, em Belo Horizonte (MG), para cumprir prisão domiciliar. As informações são da Rede Globo.

A partir de agora, ela será monitorada por tornozeleira eletrônica, ficando proibida de deixar o país e de entrar em contato com outros investigados.

Andrea estava presa desde o dia 18 de maio, mas, na terça-feira (20), a maioria dos ministros da 1ª Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu transformar em prisão domiciliar sua prisão preventiva. 

Segundo as investigações da PGR (Procuradoria-Geral da República), Aécio e Andrea teriam pedido R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo JBS, para supostamente pagar advogados de defesa do senador, agora afastado.

O diálogo em que Aécio pede o dinheiro a Joesley foi gravado secretamente pelo empresário, que fechou acordo de colaboração premiada.

A Polícia Federal rastreou que parte desse valor foi entregue por um executivo da JBS ao primo de Aécio Frederico Pacheco de Medeiros, que repassou o dinheiro a Mendherson de Souza Lima, na época assessor do senador Zezé Perrella (PMDB-MG).

Andrea, Frederico e Mendherson foram presos por ordem do ministro do STF Edson Fachin, então relator do inquérito contra o senador, e o senador foi afastado do exercício do mandato.