Para preencher fundo, propaganda eleitoral pode ser extinta, afirma colunista

Uma das alternativas para preencher o fundo partidário para as eleições do próximo ano é acabar com programa dos partidos. De acordo com o colunista Maurício Lima, da Radar Online, Revista Veja, isso não significa que não existirá mais propaganda eleitoral. Mas aquelas propagandas veiculadas fora de ano eleitoral podem acabar sendo excluídas. Cada partido tem direito a 10 minutos de programa por ano. E várias inserções. Isso é “gratuito”. Mas o governo paga as emissoras com compensação tributária.

Ainda segundo o colunista,caso sejam mesmo extintas, o recurso que é gasto para propaganda partidária extemporânea iria pro fundo de financiamento das campanhas. O valor deve passar de 1 bilhão de reais.  A ideia é defendida por Eunício Oliveira e Rodrigo Maia.