Rogério diz que é candidato irreversível ao senado e Belivaldo ao Governo

O presidente regional do PT em Sergipe, Rogério Carvalho, não usou de meias palavras, nesta terça-feira (11), durante entrevista ao radialista Jailton Santana, no seu programa da tarde na Radio Aperipê: “minha candidatura ao Senado é irreversível”, disse e acrescentou que “essa é a proposta do PT que, junto com a militância quanto a o meu nome”.

Para Rogério Carvalho, ainda durante a entrevista, o vice-governador Belivaldo Chagas (PMDB) é o candidato natural ao Governo do Estado, “embora tenha que se analisarem as pesquisas qualitativas e quantitativas que devem ser realizadas”. A observação deixa em dívida se as pretensões de Rogério sejam rigorosamente o Senado.

Sobre insatisfações de alguns aliados em relação à participação na chapa majoritária, o ex-deputado Rogério Carvalho disse que ouviu queixas apenas do deputado federal Jonas Marcos (PRB), mas admitiu que isso será resolvido no decorrer do processo de formação da chapa para a disputa do pleito de 2018.

Rogério Carvalho afirmou que vai concentrar o seu discurso de campanha na política local, embora entenda que a questão nacional influencia nas questões do Estado. O presidente do PT aproveitou para alfinetar o senador Eduardo Amorim (PSDB), quando ele votou contra a terceirização e em seguida deu voto favorável a Aécio Neves: “isso não é uma contradição?”

Para Rogério o presidente Michel Temer “experimenta agora o próprio veneno. Foi ele que comandou o golpe contra Lula e agora é vítima dos próprios golpistas” e fez menção ao comportamento do atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM).

Quando perguntado se o PT tem o discurso contra a privatização e faz questão de se coligar com o governador Jackson Barreto (PMDB) que quer privatizar a Deso, responde que “em grupo não existe unanimidade de idéias e práticas”. Citou como exemplo o casamento: “sou casado, mas nem sempre tem a mesma opinião da mulher”.

Fax Aju