Jucá não quer Jackson Barreto no comando do PMDB em Segipe

O presidente do PMDB. Romero Jucá (RR), começou a mostrar que, com ele, e no dizer dele, o partido tem que mostrar unidade.

Por isso, o partido suspendeu por 60 dias deputados que votaram pelo seguimento da denúncia do procurador-geral da Justiça, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer (PMDB).

Jucá ficou atento ao voto de Fábio Reis (PMDB), que votou a favor do mandato de Temer.

É ele o mais insistente dirigente peemedebista nos convites ao líder de Temer no Congresso, André Moura (PSC), para que aceite dirigir o partido em Sergipe.

Jucá, um dos mais ardorosos defensores do presidente, não engoliu o voto de Fábio Reis contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

Se dependesse dele, mesmo com o voto de Fábio Reis contra o afastamento de Temer, que ocorreria se a Câmara tivesse aceitado o seguimento da denúncia de Janot, o governador Jackson Barreto já estaria afastado do comando do PMDB em Sergipe.