Partido de Eduardo Amorim pode gerar novo partido

O Correio Braziliense desta quinta-feira, 10, na coluna ¨Brasília-DF¨, informa que o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), embora diga que não trairá o governador Geraldo Alckmin (PSDB)¨, já trabalha para criar um novo partido.

¨Em partido dividido e brigão, não fico¨. Seria essa, de acordo com a coluna, a nova convicção do outsider, criatura de Alckmin, que surgiu nas eleições de 2016 como o novo, o anti-político.

Em Sergipe, o PSDB é liderado pelo senador Eduardo Amorim, que levou o azar de dar de cara com a desmoralização do presidente do partido, Aécio Neves (MG), que seria a estrela principal de ato festivo de sua filiação ao ninho tucano em Aracaju.

Eduardo Amorim não tem nada a ver, nem com a desmoralização de Aécio, nem com os projetos do prefeito de São Paulo, mas foi para um partdo brigão, eternamente indefinido, muito dividido e que perdeu a chance de continuar sendo o anti-PT, a válvula de escape do eleitorado brasileiro.

Só falta unir a oposição em torno de um só nome para o governo estadual, entre ele, o senador Antonio Carlos Valadares (PSB) e o deputado federal André Moura (PSC).

NE Noticias