Seleção brasileira derrota o Equador e garante ‘título’ das Eliminatórias

O Brasil voltou a vencer pelas Eliminatórias. Pela nona vez na competição com Tite no comando, a equipe verde e amarela conquistou a sua nona vitória. No Rio Grande do Sul, a Seleção derrotou o Equador por 2 a 0.

Com o resultado, a seleção brasileira abriu 11 pontos de vantagem na liderança das Eliminatórias. Faltando três rodadas para o fim da competição, a equipe verde e amarela que já está classificada para a Copa do Rússia não pode ser alcançada por mais nenhuma seleção.

A partida teve dois tempos distintos. Na primeira etapa, o Brasil teve muita dificuldade e não saiu do zero. Depois do intervalo, Phillipe Coutinho entrou na Seleção e mudou a partida. Paulinho e o próprio apoiador fizeram os gols da vitória da equipe verde e amarela.

O Brasil volta a jogar na próxima terça-feira contra o Colômbia, fora de casa. Já o Equador recebe o Peru, no mesmo dia. Os rivais da Seleção nesta quinta-feira estão em sétimo lugar nas Eliminatórias.

O JOGO

Neymar começou a partida lembrando os tempos de Barcelona. Aberto pelo flanco esquerdo, o principal jogador do Brasil tentava abrir espaço para os avanços de Gabriel Jesus e Paulinho, que eventualmente aparecia de trás pelo lado oposto.

A marcação forte pela esquerda, contudo, obrigou Tite a liberar o jogador para flutuar por todos os setores do ataque a partir dos 15 minutos – algo que o próprio técnico havia previsto e que se assemelha ao estilo de jogo do atacante no Paris Saint-Germain. A mudança deu um pouco mais de espaço para Neymar, mas insuficiente para fazer o jogador conseguir penetração na grande área ou espaço para concluir.

Até então, a tão esperada festa em Porto Alegre estava pouco animada. E, impaciente e insatisfeita com o desempenho da seleção, parte da torcida fez o que há muito não acontecia com a seleção: vaiou o time ao término do primeiro tempo.

Preterido por Tite entre os 11 iniciais devido à falta de ritmo de jogo, Philippe Coutinho entrou nos primeiros minutos do segundo tempo na vaga de Renato Augusto. A mudança deixou o time mais ofensivo, jogou o Equador para seu campo, liberou Neymar da função de criação e fez o Brasil voltar à forma que vinha apresentando nos últimos jogos.

O novo momento do Brasil no jogo animou a torcida. Os gaúchos passaram a incentivar a seleção, que já se mostrava mais à vontade em campo. Paulinho, o jogador que tem estrela, abriu o placar aos 23 minutos, após cobrança de escanteio.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 2 X 0 EQUADOR

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Mario Alberto Diaz de Vivar Bogado (PAR)
Auxiliares: Milciades Saldivar e Rodney Aquino (PAR)
Renda e público: R$ 7.886.450,00 – 36.869 pagantes
Cartões amarelos: Neymar e Gabriel Jesus (BRA); Martínez e Pedro Velasco (EQU)
Gols: Paulinho – 23’/2ºT (1-0), Philippe Coutinho – 30’/2ºT (2-0)

BRASIL: Alisson, Daniel Alves, Marquinhos, Miranda (Thiago Silva – intervalo) e Marcelo; Casemiro, Paulinho e Renato Augusto (Philippe Coutinho – 13’/2ºT); Willian (Luan – 38’/2ºT), Neymar e Gabriel Jesus – Técnico: Tite.

EQUADOR: Banguera; Velasco, Arboleda, Achilier e Ramírez; Quiñónez, Noboa, Gaibor (Cazares – 27’/2ºT), Antonio Valencia e Martínez (Marcos Caicedo – 34’/2ºT); Énner Valencia (Felipe Caicedo – 27’/2ºT) – Técnico: Gustavo Quinteros.

O gol foi a senha para começar a festa na Arena Grêmio, que ficou badalada de vez sete minutos mais tarde. Aquela altura, Gabriel Jesus abriu a chapelaria na grande área, encobriu um marcador, o zagueiro Arboleda, e entregou de bandeja para Philippe Coutinho ampliar. As vaias do primeiro tempo deram lugar aos gritos de olé. Não foi tudo o que se esperava, mas teve festa.