Após 20 horas, presos encerram rebelião em Penitenciária de Sergipe

A policia militar informou por volta das 10 horas deste sábado (21), que a rebelião no Complexo Penitenciário Advogado Antônio Jacinto Filho (Compajaf), no Bairro Santa Maria em Aracaju, havia sido encerrada. Durante as 20 horas, os presos mantiveram cerca de 97 familiares como reféns dentro da unidade.

A rebelião começou por volta das 15h de sexta-feira (20), quando os presos do pavilhão C, mantiveram cerca de 80 pessoas como reféns. Desde que iniciaram a rebelião, os internos estavam sem acesso a comida, água e energia.

No momento da rendição, os presos pediram a presença da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/SE).

Os 70 reféns foram liberados por volta das 11 horas de hoje após intensa negociação que teve apoio da Polícia Militar, Polícia Civil e Secretaria de Justiça de Sergipe (Sejuc).

Os reféns, após serem liberados, saíram do pavilhão e passaram por revista.

Após o fim da rebelião, a Secretaria de Justiça emitiu uma nota explicando o ororrido:

Depois de uma exaustiva negociação, a Secretaria de Justiça e Defesa do Consumidor (Sejuc) convenceu os internos do pavilhão C do Complexo Penitenciário Antonio Jacinto Filho (Compajaf) a liberar os familiares que estavam com eles desde às 14h30 na unidade.  Todo esse processo foi liderado pelo secretário Cristiano Barreto e teve o acompanhamento da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil.

“Não houve nenhuma fuga  no Comapajaf pois, quando o problema começou nós adotamos todos os procedimentos de segurança necessária. O diálogo foi intenso e conseguimos convencer os internos a liberarem seus próprios familiares”, explicou o secretário Cristiano Barreto. Ele ressaltou que os agentes e guardas prisionais que atuam no Compajaf, juntamente com  a equipe da empresa Reviver, foram ágeis em adotar os primeiros procedimentos de contenção, evitando, que o problema tomasse maiores proporções.

Ao mesmo tempo, foi acionado o Ciosp (Centro Integrado de Operações em Segurança Pública) que deslocou equipes do Batalhão de Choque, Rádio Patrulha e Getam da Pollícia Militar, além de unidades do Corpo de Bombeiros e Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) que permaneceram na unidade até resolução de todo problema.

Fax Aju