Dia da Sergipanidade é celebrado hoje

Hoje é o Dia da Sergipanidade. Apesar de historicamente a data se confundir com o 8 de julho de 1820 (data da Carta Régia que desanexou o território sergipano da Bahia), foi no dia 24 de outubro de 1824 que o documento chegou a Sergipe e só assim a sociedade sergipana pôde comemorar, de fato, a independência de sua província. 

Um grande conhecedor da história do 24 de outubro foi o historiador sergipano Luis Antônio Barreto. Quando vivo, ele afirmou que o “dia 24 de outubro passava, por volta de 1836, a ser a data maior da afirmação da liberdade dos sergipanos. Durante o Império, o 24 de outubro passou a ser, também, celebrado pelo povo com seus grupos folclóricos, como atestam os registros dos jornais”.

Para o secretário de Estado da Cultura, João Augusto Gama, apesar de Sergipe já ter comemorado a data lá no dia 8 de Julho, o dia da sergipanidade deve ser lembrado todos os dias por conta da marcante presença cultural e dos elementos que caracterizam o povo do Estado, que constitui os mais variados aspectos: literatura, música e folclore. 

“A sergipanidade está presente em diversos espaços que demonstram a cultura do povo sergipano. A exemplo, do título de Patrimônio Cultural da Humanidade conquistado pela Praça São Francisco, a restauração e modernização do Palácio-Museu Olímpio Campos, as apresentações da Orquestra Sinfônica de Sergipe (Orsse) e construção do Museu da Gente Sergipana, entre outros. Esse dia merece reflexão quanto a história da gente sergipana, apesar de tradicionalmente comemorarmos a data no dia 8 de julho”, pontuou Gama. 

Para o secretário-chefe da Controladoria-Geral do Município, o advogado Alexandre Figueiredo, o Dia da Sergipanidade é mais que uma celebração da independência do Estado, é também a emancipação da identidade de toda uma população. “A data marca o orgulho de um povo pela sua terra, seus valores e por sua cultura. É o dia em que comemoramos de fato a independência do Estado. O sentimento de sergipanidade é algo inerente à nossa família, por isso sempre estamos em busca da valorização do que é nosso”.

Emenda constitucional

No ano 2000, a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa alterou o artigo 47 da Constituição estadual em que era estabelecido que a emancipação política do Estado fosse comemorada duas vezes ao ano: 8 de julho e 24 de outubro. Através da emenda constitucional, apenas o 8 de julho ficou como data oficial de celebração. A decisão vigorou, pois a AL concluiu que a data que deveria permanecer seria o dia em que D. João VI assinou o decreto de emancipação.

Jornal da Cidade