Gestores discutem combate à desertificação no Nordeste

Gestores de várias partes do país estiveram reunidos na tarde desta quarta-feira, 18, no auditório da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), para a 1ª Reunião do Comitê Consultivo do projeto “Manejo do Uso Sustentável da Terra no Semiárido do Nordeste Brasileiro”. Na ocasião, os gestores discutiram a implementação de políticas públicas para o combate à desertificação nos municípios do Alto Sertão sergipano.

A ação é uma iniciativa do Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), em parceria com o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e a coordenação do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Segundo o diretor de Desenvolvimento Rural e Sustentável do Ministério do Meio Ambiente, Valdemar Rodrigues, além de ser uma estratégia de recuperação de áreas degradadas, o projeto também tem o papel de aumentar a capacidade produtiva das comunidades que serão beneficiadas. “O Nordeste por falta de práticas agrícolas conservacionista está erodindo o solo, perdendo a biodiversidade. Precisamos de um conjunto de ações sociais e ambientais que garantam saneamento básico, segurança hídrica, aliados as ações produtivas”, destaca.

A coordenadora do PNUD, Rose Diegues, afirma que o projeto vem para colaborar na implementação das unidades de desenvolvimento dentro do estado. Segundo ela, três assentamentos e duas comunidades sergipanas serão beneficiadas. “As comunidades de Canindé do São Francisco e de Poço Preto, além dos assentamentos Jacaré Curituba, Walmir Mota e Florestan Fernandes serão beneficiados”.

Com informações da ASN