Mais de 70% das empresas do Brasil já excluíram candidatos por mentiras no currículo

Mentir em qualquer situação não é bom, mas quando se trata do ambiente de trabalho, esse hábito pode colocar em risco a sua vaga. De acordo com a empresa de recrutamento Robert Half, e 75% dos diretores de empresas já excluíram candidatos de processos seletivos por mentiras no currículo. 

Entre as mentiras mais comuns estão: informações sobre experiência no trabalho, nível de escolaridade e habilidades técnica.  De acordo com o levantamento, além de supervalorizar dados, muitos profissionais omitem informações como uma alternativa para atrair a atenção dos recrutadores, diante da relação desproporcional entre candidatos e vagas.

Foram ouvidos 303 diretores de empresas no Brasil. No total, a pesquisa mapeou a percepção de 2.710 diretores de 10 países ao redor do mundo. O Chile é o país onde mais diretores relataram problemas com informações desonestas ou exageradas nos currículos, com 80%. Em seguida está o Emirados Árabes (79%). Logo depois estão Brasil e Alemanha com 75%. Já na França, mais da metade dos entrevistados (53%) nunca precisou desconsiderar um candidato por encontrarem informações falsas no currículo.