“Não é bom amigos divergirem”, afirma Eduardo Amorim

Em entrevista concedida ao programa Balanço Geral Sergipe, na manhã dessa sexta-feira, 6, o senador Eduardo Amorim (PSDB-SE) aproveitou a ocasião para agradecer ao prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB-SP), pelas palavras elogiosas concedidas a ele e ao trabalho desenvolvido pelo parlamentar. Além disso, Doria havia deixado claro em entrevista concedida ao apresentador Fábio Henrique , que Eduardo é um extraordinário nome para disputar o governo do Estado.

“É uma honra saber do apoio dele para a minha candidatura ao governo do Estado no próximo pleito, e quero dizer também que a expetativa está muito grande por sua vinda no próximo dia 27. Doria que vem fazendo uma gestão diferente, moderna e eficaz, só agregará com sua história administrativa e política. Não tenho dúvida que teremos um grande aproveitamento”, completou Eduardo.

Eduardo explicou que próxima semana será discutida por toda bancada sobre as distribuições das emendas parlamentares, principalmente  quais serão as duas impositivas. “Existem muitas necessidades, a do Canal de Xingó e duplicação da  BR-235, por exemplo, estão na pauta. Das 15 emendas, duas são impositivas. Cada parlamentar faz uma indicação; quatro fica para o Governo do Estado, uma para a capital, uma para a cidade de Nossa Senhora do Socorro; e assim sucessivamente”, disse.

Sobre escolha do novo coordenador da bancada federal de Sergipe, Eduardo salientou que  a falta de entendimento não aconteceu dentro da oposição. “Nós apenas sugerimos um revezamento entre as duas casas, Senado e Câmara, e assim foi aceito. O pastor Jony Marcos foi o escolhido, eu cheguei a perguntar a Laércio se ele sabia, mas ele disse que não”, afirmou o senador.

Contratempos

Segundo Eduardo Amorim, não existe nenhum problema entre ele e o deputado Venâncio Fonseca, e que na verdade o que sempre existiu foi muito respeito e consideração. “Contudo, eu concordo que cada um se firma no caminho que acha que deve. Não interfiro e não imponho o caminho de ninguém, mas é interessante ressaltar que muitas vezes nós nos direcionamos para algum lado por conta da imposição de alguém”, explicou ele, que também aproveitou para lamentar a atual situação do prefeito de Itabaiana Valmir de Francisquinho com a Família Teles de Mendonça.

“Sou aliado e amigo de ambos. Não é bom amigos divergirem, mas tentarei fazer a minha parte em conciliar essas divergências. Acredito que a candidatura de Thalysson será mantida, assim como acredito que não haverá rompimento de alianças, afinal, a escola política de ambos é a mesma”.

Ainda sobre divergências de opiniões, Eduardo disse ter se posicionado mais uma vez contra a sua bancada partidária. “Não enganei ninguém na forma de pensar. Avisei da forma que agiria. Não é bom esse conflito entre os poderes. Cada um tem seu dever e missão. O STF é um guardião da Constituição. Vamos aguardar o colegiado”, concluiu.

Preparados

Eduardo voltou a afirmar que a oposição está preparada para o próximo pleito. “Nós temos o privilégio de existir vários nomes fortes para o pleito 2018. Não tenho dúvida que a oposição estará unida para concorrer o próximo pleito. Sergipe é viável, tem perspectiva, mas tem que ter uma boa gestão”, finalizou Eduardo.

EA