O PSB em Sergipe é Babel de 560 idiomas?

Repercute mais o conflito de posições no PSB do que propriamente a aprovação, pela Assembleia Legislativa, da autorização para que o Estado negocie com a Caixa financiamento de até R$ 560 milhões.

É verdade que o deputado estadual do PSB, Luciano Pimentel, mudou de posição na prorrogação da votação do projeto, mas também é verdadeira a obrigação do partido de respeitar a situação de seu filiado e de, pelo menos, tentar protegê-lo de qualquer repercussão negativa.

Ao contrário, o que se vê é o partido dizendo que ele se vire para dizer porque manifestou posição contrária ao projeto e, na mesma sessão, votou a favor.

O senador Antonio Carlos Valadares, maior líder do partido, reage como se tivesse se metido numa enrrascada por obra e graça do deputado Luciano Pimentel.

A hora é de, se entender, manter posição contrária ao financiamento, mas sem esquecer que Luciano é o único deputado do partido na Assembleia e que sua posição na Casa reflete o voto da legenda.

Do contrário, passa-se a impressão de que, no PSB, é cada um por si.

Ou estão esquecendo a lealdade do deputado ao partido e a seus principais líderes?

NE Noticias