Polícia descobre túnel e frustra roubo bilionário ao Banco do Brasil

Durante entrevista coletiva na manhã desta terça-feira (03), a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo deu detalhes da prisão de 16 pessoas acusadas de escavar um túnel para roubar o cofre de uma agência do Banco do Brasil, na região da Chácara Santo Antônio, zona sul da capital paulista. 

Segundo a investigação, a quadrilha tinha expectativa de roubar R$ 1 bilhão.Em junho, os criminosos alugaram uma casa a cerca de 500 metros do banco e se preparavam para fazer o roubo nos próximos dias. “O túnel já estava pronto. 

Eles estavam terminando os trilhos para a retirada do dinheiro”, disse o delegado Fábio Pinheiro Lopes, da Delegacia de Roubos a Bancos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).A operação aconteceu depois de três meses de investigações realizadas por uma equipe da Deic. 

Segundo as informações, a Polícia Civil alugou um imóvel para acomodar policiais disfarçados e monitorar as atividades dos criminosos até conseguir identificar quem eram os líderes do bando.“Não teve nenhum disparo de arma de fogo, ninguém ferido. [Isso] mostrou que a Polícia Civil faz um trabalho totalmente legal quando não há reação”, disse o delegado sobre a operação que envolveu até o uso de helicóptero. 

Além da casa próxima ao banco, o grupo tinha um centro de operações na zona norte da cidade.Segundo o delegado Fábio Pinheiro, a quadrilha pretendia realizar o maior roubo a banco do mundo. "O investimento da quadrilha foi na faixa de R$ 4 milhões, segundo eles informaram. 

Cada um dos participantes calçou R$ 200 mil e a estimativa deles era levar R$ 1 bilhão. Seria o maior assalto do mundo", disse.

Com cerca de 600 metros, o túnel já era quase oito vezes maior ao que foi usado pela quadrilha que realizou o maior assalto a banco do Brasil -- quando foram levados R$ 164 milhões do Banco Central de Fortaleza (CE), em agosto de 2005. A estrutura usada na época tinha 75,4 metros de comprimento. De acordo com Pinheiro, a estrutura da escavação mostra que a quadrilha tinha auxílio de pessoas com conhecimentos de engenharia.

Segundo o delegado, o cofre que seria alvo da ação já apresentava danos. “A gente pediu uma vistoria, e eles detectaram uma rachadura em um dos cofres”, enfatizou Pinheiro sobre os indícios de que o crime estava próximo de ser consumado. “Esse assalto, pelo que consta, seria no fim de semana. Provavelmente na sexta que vem”, acrescentou.

*Com informações da SSP/SP e Agência Brasil