Falsas ofertas de emprego enganam mais de 300 mil brasileiros, mostra pesquisa

Apenas no último mês, mais de 30 golpes que usam falsas ofertas de trabalho como armadilha enganaram mais de 300 mil pessoas no Brasil. Os dados são do laboratório de segurança digital DFNDR Lab. De acordo com o levantamento, as vítimas são induzidas a acessar sites maliciosos e a compartilhar o golpe com amigos. Em alguns casos, os internautas chegam a fornecer seus dados pessoais e informações de acesso ao Facebook.

Os hackers usam nomes de grandes empresas, como Assaí, Coca Cola, Carrefour, entre outras, para enganar os desempregados. "Hackes estão se aproveitando da alta taxa de desemprego no país para chamar a atenção para falsas promessas de vagas. Na intenção de se recolar no mercado de trabalho, muitas pessoas estão se cadastrando em anúncios sem antes se certificarem sobre sua veracidade. Percebemos, ainda, que muitos brasileiros estão compartilhando seus números de celular nas páginas falsas na expectativa de aumentarem suas chances na conquista das vagas anunciadas, o que aumenta o risco de roubo de dados e aplicação de outros golpes futuros pelos cibercriminosos" comenta Emílio Simoni, diretor do DFNDR Lab.

Ao clicarem nas armadilhas, as vítimas deparam-se com um formulário que solicita dados como nome completo, data de nascimento, a posição profissional que gostariam de ocupar e o telefone de contato. Em seguida, os usuários são levados a compartilhar o processo seletivo com amigos pelo WhatsApp. Dessa maneira, o golpe se espalha mais rapidamente.

Depois do compartilhamento, o usuário é induzido a se cadastrar em serviços de SMS pago - que efetuam cobranças indevidas - ou baixar aplicativos falsos, que podem infectar o smartphone e deixá-lo vulnerável a outros tipos de crimes.

O Globo