Mulher manda sobrinho e marido matar colega de trabalho em Sergipe

A Polícia Civil de Areia Branca desvendou o assassinato de Juciane de Souza Alves, de 25 anos, funcionária da Usina Pinheiro. O crime ocorreu no dia 8 de maio deste ano quando a vítima esperava o ônibus para ir trabalhar. A mandante, segundo as investigações, é Elizete Seixas Santos, colega de trabalho de Juciane, a “Keka”. Já os acusados pela prática do homicídio são Elisson Seixas Santos e Isaías Nunes da Silva, sobrinho e marido de Elizete.

As investigações duraram cercade seis meses e foram conduzidas pelo delegado de Areia Branca Cleones Silva. De acordo com ele, os dois homens se aproximaram de Juciane em uma motocicleta e desferiram cinco tiros na cabeça. “Ela estava de cabeça baixa, com fones de ouvido e não teve chance de defesa”, informa Silva. Crime de latrocínio foi descartado logo no início das investigações. Em seguida, a Polícia também excluiu a possibilidade de crime passional.

Ciúmes

A motivação encontrada pela Polícia Civil para culpar Keka seria ciúme por questões profissionais. Ambas as mulheres trabalhavam na lavanderia do setor de herbicidas da Usina e já teriam tido brigas internas. “Keka trabalhava há quase dois anos e Juciane há cerca de quatro”, diz o delegado.

Cleones Silva conta, também, que foi difícil chegar aos acusados porque familiares e colegas de trabalho, por já conhecer o histórico da família da mandante, temiam falar sobre as possíveis causas da morte de Juciane. O que auxiliou as investigações foram as denúncias anônimas feitas através do 181, além de provas técnicas, como uma série cruzamento de datas, horários e locais. Segundo a Polícia, o crime ocorreu por volta das 4h50 da manhã e, no mesmo dia, o marido de Keka chegou em casa às 5h15 numa motocicleta com as mesmas características da vista na cena do crime.

Histórico familiar

Foram presas cinco pessoas da mesma família. “Trata-se de uma família de homicidas. Três foram presos por participação deste crime que trata a investigação e outros dois já cometeram homicídios anteriormente”, relata o delegado. Os cinco parentes somam seis homicídios cometidos nas cidades de Laranjeiras, Capela, Lagarto e Itaporanga D’Ajuda.

Keka e o marido Isaías foram presos em outubro na cidade de Laranjeiras  e Elisson, o sobrinho, neste mês de novembro, no bairro Bugio, em Aracaju, enquanto fazia tatuagens.

Também foram presos Adriano Seixas Santos, o “Nano”, e Welingthon Luiz Santos, o “Etinho”, ambos irmãos de Keka. Nano tem dois mandatos de prisão por homicídio qualificado e Etinho, é acusado de matar outras duas pessoas. A prisão ocorre na zona rural de Macambira. A Policia Civil destaca que, no momento da prisão, Adriano estava em posse de três espingardas.

“As investigações continuam com objetivo de achar outros possíveis participantes desse crime”, revela o delegado. Denúncias podem ser feitas pelo Disque Denúncia através do 181.

Juciane de Souza Alves não tinha nenhuma ficha na Polícia. Ela deixou um filho de 4 anos.

Jéssica França / Infonet