Amadense não entrará em campo contra o Boca Jr e vai colocar a CBF na justiça

Confirmado! O Amadense não vai entrar em campo e perderá por W.O. para o Boca Júnior neste domingo. A partida está marcada para o estádio Brejeirão, em Tobias Barreto, às 15h35. Na manhã deste sábado o GloboEsporte.com entrou em contato com o vice-presidente do Leão do Rio Real, que disse que ainda ia se reunir com o presidente para definir a situação.

- Não vamos colocar time em campo. Ninguém conseguiu ser registrado a tempo. O pensamento dos atletas já está no jogo contra o Olímpico no outro domingo, conversei com eles. Mandei deixar que a diretoria resolva esse problema e eles pensem apenas na partida - comentou o presidente do Amadense, Luiz Antônio da Silva, o Lolô.

Tudo isso porque não houve tempo hábil para o clube inscrever um número mínimo de atletas para entrar em campo pela primeira rodada do estadual. José Raimundo dos Santos, mais conhecido por "Dinho de Osvaldo", achava que o time tinha conseguido registrar três atletas profissionais e que conseguindo outros cinco amadores poderia enfrentar o Boca Júnior, mas o presidente Lolô checou e viu que nenhum foi regularizado no BID da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

- Temos 20 contratos em mãos, mas não deu tempo de registrar nenhum, porque parece que tem que ser 48 horas antes, com isso passou o prazo. Agora, que culpa o Amadense tem? Não tem culpa de nada. Nós pagamos a taxa na sexta da semana passada, dia 5, e só foram liberar na última quinta à tarde, dia 11. Como o boleto só foi autorizado na quinta à tarde, fizemos os contratos na sexta pela manhã, mas não deu tempo, infelizmente. Como o clube vai ser penalizado se o atraso foi da CBF? Vamos à justiça. Eu isento a FSF, ela não tem culpa de nada. A culpa para mim é da CBF. Já contratamos um advogado do Rio de Janeiro e vamos ao tribunal, estou neste momento preparando toda a documentação para mandar para ele - explicou Lolô.

Houve a possibilidade de o jogo ser adiado. Segundo Lolô, o presidente da Federação Sergipana de Futebol reuniu representantes dos dois clubes na última sexta à tarde, mas o adversário não aceitou.

- Milton Dantas até tentou adiar a partida. Ele nos chamou para uma reunião, eu e o presidente do Boca Júnior, na tarde de sexta. O presidente da Federação deixou claro que só poderia adiar se o adversário aceitasse, mas o presidente deles não aceitou. E olhe que ele (Gilson Behar) dizia que era grato a mim por ter colocado ele no futebol, dizia até que o segundo time dele era o Amadense. Aí na reunião não aceitou adiar. É isso mesmo, o dia que ele precisar do Amadense ele terá a resposta dele - afirmou o presidente do Amadense.

Globo Esporte / SE