Ciro Gomes responde a 80 processos por danos morais no Ceará

Pré-candidato à Presidência em 2018, Ciro Gomes (PDT) responde a 80 processos por danos morais apenas no Estado do Ceará movidas por adversários políticos. O levantamento, divulgado nesta 5ª feira (19.jan.2018), é do jornal O Povo e foi feito com base em dados do TJ-CE (Tribunal de Justiça do Ceará).

A lista de desafetos do ex-governador do Ceará é vasta. Inclui até o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (MDB-RJ), a quem Ciro chamou de “o maior bandido”do País.

O “número 1“ da lista é o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), com 37 processos contra Ciro. Entre os ataques, estão os de “aventureiro, mentiroso, lambanceiro” e até pinotralha. “Uma mistura de Pinóquio com irmão metralha”, disse Ciro.

Outros casos incluem o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), que processa Ciro após ser chamado de “farsante” e “engomadinho que vive com o beiço cheio de botox”.

Entre os casos que já houve condenação, está o do presidente Michel Temer (MDB). Ciro foi condenado a pagar indenização de R$ 30.000 a Temer por chamá-lo de “ladrão fisiológico” e “chefe de quadrilha”.

De acordo com a publicação, nos autos dos processos, a defesa de Ciro alega que as afirmações seguem apenas a liberdade de expressão. Em alguns casos, a defesa alega que o tom “assertivo” faz parte do jogo eleitoral, sendo o próprio Ciro alvo de diversos ataques pessoais.

Eis algumas das ações contra Ciro:

Eunício Oliveira (MDB-CE): Autor de 37 ações por dano moral, já foi chamado de “aventureiro, lambanceiro, mentiroso” e até “pinotralha”;

Eduardo Cunha (MDB-RJ): Alvo recorrente, Cunha já processa o ex-governador há vários anos. Num dos embates, Ciro o chamou de “maior bandido do Brasil”;

Jair Bolsonaro (PSC-RJ): Processou Ciro, após o ex-governador dizer que Bolsonaro recebeu dinheiro ilegal da JBS/Friboi na campanha eleitoral de 2014;

João Doria (PSDB-SP): Ingressou com ação contra Ciro em julho passado, após ser acusado de enriquecer com dinheiro público;

Michel Temer (MDB-SP): Ciro foi condenado a pagar indenização de R$ 30 mil a Temer após chamá-lo de “ladrão fisiológico” e “chefe de quadrilha”;

Fernando Collor (PTB-AL): Justiça condenou Ciro a pagar R$ 100 mil de indenização a Collor. Em 1999, o ex-governador disse que Lula deveria ter chamado Collor de “playboy safado” e “cheirador de cocaína” nas eleições de 1989;

Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP): Ciro foi condenado em 2008 por ter dito que o ex-presidente tinha “horror a preto, pobre e nordestino”.

Gaudêncio Lucena (MDB-CE): Braço-direito de Eunício, move cinco processos contra Ciro, que já acusou Gaudêncio de fazer tráfico de influência;

Capitão Wagner (PR-CE): Já foi acusado de chefiar “milícia ligada ao narcotráfico”diversas vezes por Ciro. Já obteve condenação, em 1ª instância;

JL Politica