Luciano Mineiro cita constrangimentos para deixar o Boca Júnior de Estância

Mais um clube terá que buscar outro treinador. Depois do Lagarto demitir Gabriel Lisboa, o Boca Júnior perdeu o treinador por causa de um despejo. Pelo menos é o que garante Luciano Mineiro. Ele afirmou que precisou prestar boletim de ocorrência pra poder pegar as coisas no hotel onde estava despejado.

A confusão no genérico argentino começou após a derrota para o Sergipe por 3 a 0, no Batistão. Quando voltou para Estância, o treinador recebeu a informação de despejo, por falta de pagamento. Ele precisou de ajuda da polícia local para entrar no estabelecimento e pegar suas roupas.

- Eu não pude entrar no hotel Jardim, logo após o jogo contra o Sergipe, pois o Boca Júnior não teria pago a despesa da hospedagem. Diante de tantos constrangimentos, resolvi me afastar do Boca Júnior - afirmou Luciano Mineiro ao site futebol sergipano.

O treinador chegou a registrar um boletim de ocorrência na Delegacia de Estância, falando do despejo sofrido pelo hotel.

O presidente do clube, Gilson Behar, afirmou que partiu do treinador o pedido para sair, alegando problemas pessoais em Minas Gerais.

- Depois do jogo (contra o Sergipe), o Luciano conversou comigo, ele tinha acabado de chegar de viagem, não tinha resolvido seu problema lá em Minas e, ele precisa de 15 a 20 dias para resolver. A gente vai ver como vai ser, se precisa contratar outro treinador ou se espera dele. Vamos deixar passar este jogo com o Dorense - afirmou Gilson Behar, presidente do

Sem treinador, o Boca Júnior visita o Dorense neste domingo, às 17h35, no Estádio Ariston Azevedo, em Nossa Senhora das Dores. A partida é válida pela quarta rodada da primeira fase do Campeonato Sergipano.

Globo Esporte / SE