"Mendonça Prado é desocupado, invejoso e ciumento", diz André Moura

Para o líder do governo Michel Temer no Congresso Nacional, deputado federal André Moura (PSC), o presidente estadual do DEM, o ex-deputado federal Mendonça Prado, é desocupado,invejoso e ciumento. André Moura esteve hoje, 19, nos estúdios da Fan FM Aracaju, e respondeu aos comentários feitos por Mendonça esta semana, quando esteve no Jornal da Fan e comparou André Moura a um vaqueiro de Temer.

O congressista disse em entrevista a Magna Santana que trabalha em perfeita sintonia com o senador Eduardo Amorim (PSDB-SE) e que o senador afastado Antônio Carlos Valadares e o filho, o deputado federal Valadares Filho, ambos do PSC-SE, são nomes importantes no processo para a formação de composição do bloco da oposição nas eleições deste ano.

O deputado não quis adiantar a qual cargo irá concorrer em outubro deste ano, mas afirmou que as definições serão tomadas após o carnaval, e não mais em janeiro como havia anunciado anteriormente.

Jeito novo de liderar – André Moura lamentou a conduta e as palavras de Mendonça e disse que está empenhado em ajudar o estado e a capital a realizar obras. Para ele, a fala de Mendonça reflete uma nova forma de administrar a liderança. “Não está costumado a esse jeito novo de fazer governo. Um jeito republicano de ajudar sem olhar a partido pertence o governo”, disse Moura ao se referir aos empréstimos e verbas do governo federal liberadas para Aracaju e Sergipe por meio da interferência dele junto aos ministérios.

O parlamentar disse ainda que os R$ 560 milhões pedidos pelo governo de Jackson Barreto ao Governo Federal via Caixa não irão resolver os problemas de Sergipe, mas irão ajudar a recuperar as estradas. André Moura falou que está otimista quanto à liberação desses recursos.

Sem pulso – Na entrevista, o líder de Temer fez duras críticas ao governo Jackson Barreto. Para ele, faltam pulso para resolver as questões de segurança e planejamento de ações na saúde e na administração pública. “O governo tem que tratar bandido como bandido”, falou sem especificar que forma seria essa de tratamento destinado a criminosos.

JL Politica