"Reformas não são para o meu governo, são para o futuro", defende Michel Temer

Em sua movimentação na busca por apoio da reforma da Previdência, o presidente Michel Temer (MDB) concedeu entrevista à Metrópole FM, na manhã desta quarta-feira (31). O chefe do Palácio do Planalto fez defesa do texto e enfatizou sua confiança de que a matéria será votada pela Câmara dos Deputados em fevereiro.

"Estas reformas não são para o meu governo, são para o futuro", frisou. "Para se ter uma ideia, em 2017, a dívida previdenciária foi de R$ 268 bilhões. Assim, sem a reforma, haverá um momento em que não terá mais como pagar aposentadorias", avisou.

Questionado sobre a resistência de deputados federais em votar o texto, Temer disse que há ainda falta de entendimento na sociedade a respeito do conteúdo da reforma. "Os deputados transmitem o que o povo pensa", apontou.