“Vamos apontar os equívocos que há no processo”, Diz defesa de André Moura

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quinta-feira (15), a condenação do deputado federal André Moura (PSC-SE), por supostos desvios na Prefeitura de Pirambu e formação de quadrilha.

O pedido de condenação foi apresentado nas alegações finais da Procuradoria Geral da República (PGR) numa ação aberta em 2016, na qual André  foi acusado de se apropriar de verba pública para proveito próprio entre 2005 e 2007.

Assim que a noticia sobre o pedido da Procuradora foi divulgado, a defesa do deputado André Moura, através do advogado Evânio Moura emitiu uma nota informando que “na ação que tramita no STF, toda prova testemunhal e material indica que ele não interferiu durante o mandato de seu sucessor na Prefeitura de Pirambu, Juarez Batista dos Santos”.

Na tarde desta sexta-feira (16), o advogado Evânio Moura falou por telefone com a redação onde confirmou que ainda não foi notificado e disse que há equívocos no processo. “É normal a ação da Procuradora que age como promotor de acusação, porém nós vamos apontar os equívocos. É bom ressaltar que o ex-prefeito que faz a acusação é adversário político de André e além disso, todas as testemunhas negaram”, explicou o advogado.

Ao ser questionado sobre qual o próximo passo da defesa, Evênio Moura disse que “ainda não fomos notificados para apresentarmos a defesa e assim que for, faremos. Em seguida o processo será encaminhado para o ministro relator”, concluiu o advogado.

Fax Aju