Em 2017, arrecadação do ICMS em Sergipe cresceu 3,9%

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Conselho Nacional da Política Fazendária (Confaz), apontou que a arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) ultrapassou os R$ 3,2 bilhões, em 2017.

Em termos reais (considerando o efeito da inflação, medida pelo IPCA), observou-se alta de 3,9% na arrecadação do imposto, em relação ao ano anterior, 2016.

Arrecadação do ICMS por setores

Em 2017, a movimentação de bens, produtos e serviços dos setores primário, secundário e terciário contribuiu com mais de R$ 2,2 bilhões, respondendo por 71% do montante recolhido com o tributo para os cofres do estado.

A comercialização e fabricação de produtos ligados ao petróleo e seus derivados, foi responsável pela arrecadação de aproximadamente R$ 549,6 milhões para o tesouro estadual, registrando retração real de 12%, em relação a 2016. Ao passo que o uso da energia elétrica pelos setores secundário e terciário contribuiu, em termos absolutos, com mais de R$ 313,5 milhões, tendo leve aumento de 0,1%, em termos reais, quando comparado com 2016.

Outros tributos recolhidos em 2017

A arrecadação do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), no ano passado, ultrapassou os R$ 217,2 milhões, apresentando aumento real de 1,9%, na comparação com 2016.

O recolhimento do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD) ficou levemente acima dos R$ 28,5 milhões, retração real de 7,9%, quando comparado com 2016. Enquanto que as taxas (pagas em função da contraprestação de algum serviço público) reuniram R$ 408,8 mil aos cofres do estado, com elevação real de 9,1%, em relação ao ano anterior.

Núcleo de Informações Econômicas NIE/FIES